Notícias

Vai e vem das bandeiras em Curitiba continua colocando nossas vidas em risco

A Prefeitura de Curitiba retornou nesta segunda-feira (7) com a bandeira laranja. A sinalização marca as restrições em atividades comerciais, como shoppings, supermercados, panificadoras, lanchonetes, restaurantes e salões de beleza.

O retorno da bandeira laranja é resultado da negligência da administração municipal contra a população e contra profissionais de Saúde que trabalham nas unidades do município.

Em 17 de agosto, a prefeitura decretou a bandeira amarela, que permitiu a abertura ampla do comércio na capital paranaense. Os reflexos vieram duas semanas depois, com um novo salto na taxa de contaminação.

Em todo o Brasil, decisões como essa retiram da população o senso de responsabilidade, causando situações como o que aconteceu no feriado de 7 de setembro, quando parques, praças e até praias (nas cidades litorâneas) ficaram abarrotado de pessoas, e por um clima de festa inadequado à situação do país durante uma pandemia que já matou mais de 146 mil pessoas.

Enquanto os profissionais da Saúde e a população ficam expostos à contaminação, a Prefeitura mostra mais uma vez que a prioridade é atender os interesses de grandes empresários, em detrimento da vida dos curitibanos.

De acordo com o boletim da Secretaria Municipal de Saúde, apesar da suposta estabilização no número de casos, a capital paranaense registrou 36.408 casos confirmados de Covid-19. 623 estão em investigação e 1.082 pessoas morreram por conta da Covid-19. Em todo o Paraná, pelo menos 65 profissionais da saúde já perderam a vida.

O SindSaúde-PR repudia as decisões de governantes que cedem às pressões dos setores econômicos e vai continuar defendendo a vida da população e de todas e todos profissionais de Saúde.

As vidas humanas importam mais do que o lucro!

Fonte: Sindsaúde-PR