Notícias

SindSaúde-PR tenta reverter transferência arbitrária de servidores do HDSSR, em Piraquara

SindSaúde-reunião-São-Roque

SindSaúde-reunião-São-RoqueNa última sexta-feira (28) o SindSaúde-PR se reuniu com a direção do Hospital de Dermatologia Sanitária São Roque (HDSSR), em Piraquara, para cobrar informações sobre a transferência arbitrária de quatro servidoras e servidores da unidade para o Hospital Colônia Adauto Botelho (HCAB), em Pinhais. Segundo a direção da unidade, o HDSSR, que atendia casos de hanseníase e demais dermatoses, vem passando por uma reformulação devido às mudanças nas abordagens de tratamento para essas doenças.

A justificativa para a transferência do pessoal decorre do encaminhamento de dois pacientes asilares internados há mais de 30 anos no HDSSR para o HCAB. De acordo com a direção do HDSSR, não foram encontrados familiares desses dois internados, e o HCAB teria condicionado o recebimento dos pacientes à transferência das quatro técnicas de Enfermagem.

As trabalhadoras e os trabalhadores que seriam transferidos, no entanto, residem em Piraquara assim como possuem limitações relacionadas às condições de saúde de dependentes e já manifestaram o desejo de permanecer na estrutura reformulada do HDSSR, que se voltará para atendimentos ambulatoriais, como consultas, procedimentos e curativos especiais.

Neste ano, o SindSaúde-PR esteve por mais de uma vez no HDSSR para se reunir com as servidoras e os servidores para encaminhar as pautas da categoria no local, sendo que não há justificativa para que a SESA-PR tome uma decisão sem considerar as questões levantadas pela categoria sem que sejam inseridas as situações dos pacientes e da categoria.

O SindSaúde-PR se reuniu também com a direção do HCAB nesta terça-feira (1) para questionar a justificativa da transferência. Situamos a direção sobre a condição da usuária e do usuário que estão internados há mais de 30 anos e que não concordamos com a transferência arbitrária a toque de caixa de servidoras e de servidor que prejudiquem os direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores.

Reafirmamos a posição de defesa das reivindicações da categoria e solicitamos que a unidade busque formas de resolver o problema sem afrontar o direito da equipe.

Nosso objetivo é fazer com que a posição das servidoras e servidores seja respeitada pela SESA-PR e também não abrir precedente para novas transferências arbitrárias de trabalhadoras e trabalhadores.

Fonte: SindSaúde Paraná