Notícias

SindSaúde-PR repudia título de cidadania curitibana para psicóloga da “cura gay”

O SindSaúde-PR, como instituição que defende servidoras(es) da Saúde do Estado do Paraná e, da mesma forma, as boas práticas de atenção à saúde da população, repudia a aprovação de cidadania pela Câmara Municipal de Curitiba à psicóloga Deuza Maria de Avellar.

Em sua prática profissional, Deuza Maria de Avellar classifica a diversidade existente na identidade de gênero como “comportamento” e afirma que é possível “mudar esse comportamento”.

Essa postura é frontalmente contra resolução de 22 de março de 1999 do Conselho Federal de Psicologia, que considera a maneira como a pessoa vive sua prática sexual como parte da identidade do indivíduo.

Em seus artigos segundo e terceiro, essa resolução diz expressamente que “Os psicólogos deverão contribuir, com seu conhecimento, para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas homoeróticas” e “Os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados”.

No parágrafo único do terceiro artigo da resolução, o CFP ainda reforça que “Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades”.

Assim, o SindSaúde-PR considera inadequada a decisão da Câmara Municipal de Curitiba que leva em conta a prática de uma psicóloga que fere a ética profissional e revela o preconceito institucional existente.