Notícias

SindSaúde-PR participou de ato pela vacinação em massa no sábado (23)

Neste sábado (23) foi realizado um grande ato em Curitiba, em defesa da vacinação em massa dos brasileiros e pela responsabilização do Governo Federal, que tem sido negligente com a vida das brasileiras e dos brasileiros desde o início da pandemia.

Foram quase mil veículos (entre carros, motos e bicicletas), que tomaram as ruas da capital paranaense com todos os cuidados sanitários necessários, como distanciamento e uso de máscaras.

O ato teve a participação do SindSaúde-PR e de diversas outras entidades e setores da sociedade. Segundo levantamento de alguns veículos da mídia, atos semelhantes ocorreram em centenas de cidades de pelo menos 15 estados.

A vacinação ampla e massiva é direito de todos e obrigação dos governantes, e podia estar sendo aplicada há mais tempo – e em maior quantidade – se não fossem a ineficácia e o negacionismo dos governos Bolsonaro e Ratinho Jr. O íntimo alinhamento de Ratinho Jr com o presidente brasileiro, inclusive, resultou no agravamento da pandemia no Paraná e na dificuldade em negociar a compra de vacinas diretamente com os laboratórios ou governos de outros países.

Enquanto isso, não há previsão de vacinação total das trabalhadoras e dos trabalhadores da Saúde, que sofrem com o esgotamento e com o adoecimento, mas que seguem atuando sem folga desde março. A estimativa do governo estadual era imunizar menos de 40% do pessoal da Saúde (pública e privada) no estado na primeira fase.

 

Lentidão e ineficácia

A partir das doses que já chegaram (265,5 mil da CoronaVac e 86,5 mil da Astra/Zeneca), o governo Ratinho Jr conseguirá atender apenas 176 mil pessoas (com 2 doses cada) que fazem parte de três grupos prioritários nesta primeira etapa: idosos com 75 anos, pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas), grupos indígenas com terras demarcadas, e trabalhadoras e trabalhadores da Saúde (pública e privada), de forma escalonada.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA-PR), o governo estadual esperava ter recebido 50 mil doses a mais. É importante lembrar que o governador Ratinho Jr foi um dos poucos que não assinou uma carta pedindo que o Governo Federal amplie a vacinação.

 A pressão popular deve continuar e uma nova carreata está marcada para o próximo domingo (31), às 15h, no Centro Cívico.

Sem pressão, não haverá vacinação em massa.

 

Fonte: SindSaúde-PR