Notícias

SindSaúde-PR apoia a luta em defesa da democracia na UFPR

Imaginem se um dia conquistássemos o direito de escolher, pelo voto, o secretário de Saúde aqui do Paraná. Melhor ainda, que para assumir o cargo ele tivesse que ser membro ou membra da nossa própria categoria. Seria um avanço tremendo, não?

Alguém cujos atributos não fossem apenas suas ligações políticas e partidárias, mas sim sua qualificação, seu histórico de luta em defesa da nossa categoria e dos interesses sociais. Alguém que entendesse nossos problemas, porque sentiu em sua própria pele o duro dia a dia que vivemos.

Pois é isso que as comunidades das universidades públicas brasileiras conquistaram desde o final da ditadura militar, quando puderam participar do processo de escolha das Reitorias das instituições. Mas é justamente isso que está sendo perdido por causa do crescente autoritarismo do Governo Federal.

E não é uma realidade tão distante. Está acontecendo neste momento aqui pertinho, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), a mais antiga do país.

 

Entenda

As entidades que representam a comunidade da UFPR realizaram na quinta-feira (10) uma manifestação para defender a democracia na instituição. O ato foi realizado durante a reunião do Colégio Eleitoral e contou com o apoio de diversas entidades, inclusive o SindSaúde-PR.

Com a hashtag #RetiraHorácio, a manifestação pedia que o candidato derrotado na votação para a Reitoria da UFPR, o professor Horácio Tertuliano dos Santos, retire seu nome da lista tríplice que será enviada ao Ministério da Educação. Ele teve menos de 9% dos votos totais, mas tem chance de se tornar reitor-interventor por indicação do presidente da República, Jair Bolsonaro (que já fez isso em praticamente metade das universidades que passaram por processos eleitorais).

A chapa encabeçada pelo candidato vencedor, Ricardo Marcelo Fonseca, teve 91,11% dos votos totais, mas corre o risco de não tomar posse.

Historicamente, todos os candidatos derrotados tiraram seu nome da lista, justamente para que nunca houvesse risco de alguém que não foi escolhido pela comunidade tomasse posse. Desta vez, a chapa ligada ao governo não parece disposta a respeitar a vontade da coletividade.

 

Por que apoiar?

Ensino superior de qualidade e democracia universitária sempre andaram juntos na trajetória da UFPR (assim como a democracia elevou os níveis dos serviços públicos no país), considerada a melhor instituição de ensino superior do Paraná, e uma das 10 melhores do Brasil. Essa união proporciona o crescimento da produção de conhecimento e formação profissional de altíssima qualidade.

Muitas servidoras e servidores da Saúde pública paranaense se formaram na instituição e tiveram contato com um ambiente acadêmico democrático e repleto de oportunidades.

E é por isso que toda a sociedade deve apoiar a comunidade acadêmica da UFPR (alunos, servidoras e servidores, e docentes), para que o direito democrático de escolha de seus dirigentes seja respeitado.

Fonte: Sindsaúde-PR