Notícias

SindSaúde pede que lactantes e pessoas de 60 anos sejam incluídas em teletrabalho da SESA

Na última sexta-feira (20), o secretário de Saúde do Estado do Paraná, Carlos Alberto Gebrim Preto, publicou a resolução 339/2020, que, entre outras coisas, disciplinou o teletrabalho de grupos de risco durante a crise da pandemia do Coronavírus Covid-19.

No entanto, a medida do secretário foi menos restritiva que o decreto 4.230/2020 do governador Ratinho Júnior quanto aos grupos de risco protegidos.

Assim, o SindSaúde-PR entrou nesta segunda-feira (23) com um ofício pedindo que, justamente para defender uma classe que é linha de frente ao enfrentamento da crise sanitária e é a mais exposta ao risco de contágio, sejam utilizados os mesmos critérios do decreto, como uma medida de proteger a vida de trabalhadoras e trabalhadores da saúde.

A resolução da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) deixa de fora dois grupos de risco, as pessoas de 60 anos e lactantes. As primeiras pessoas são notoriamente parte de um grupo de risco etário e não faz sentido expô-las. As lactantes, por amamentarem, lidam com bebês cujo sistema imunológico está em fase de formação e um contágio pode trazer consequências para toda a vida da criança.

Deste modo, o SindSaúde-PR pede que a resolução seja alterada e estes dois grupos sejam incluídos entre os que terão teletrabalho ou dispensa com vencimentos na impossibilidade deste. O objetivo proteger ao máximo a categoria das trabalhadoras e trabalhadores da Saúde, resguardando os mais frágeis, e preparando-se para um dos mais custosos momentos da história nacional.

OFÍCIO SINDSAUDE

Clique aqui e confira o novo ofício enviado.

Fonte: SindSaúde-PR