Notícias

Por que Ratinho Jr esconde dados sobre mortes de servidores da Saúde na pandemia?

A falta de transparência do governo do Paraná na divulgação de dados detalhados sobre a contaminação e morte de trabalhadores e trabalhadoras por Covid-19 indigna o SindSaúde-PR.

De acordo com a última atualizada da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA-PR), 241 profissionais de Saúde, nas diferentes funções, morreram por causa da doença no Paraná (68 eram a Enfermagem, categoria com mais vítimas) e 17.656 tiveram a confirmação, sendo 6.412 da Enfermagem (36,52% dos casos notificiados). Isso significa que o Paraná é responsável por 12% das mortes na Enfermagem no país.

Mas há problemas com esses números: a secretaria não atualiza os dados desde 4 de março. E foram justamente as duas últimas semanas as piores desde o início da pandemia.

Além disso, apesar dos pedidos de informação feitos pelo sindicato, a SESA-PR não revela o local de trabalho das pessoas contaminadas.

Para o SindSaúde-PR, a falta de transparência nas informações dificulta a análise das ações tomadas pelos governos e a eficácia das decisões dos governantes de cada esfera. É importante saber quantas contaminações e mortes seriam de servidoras e de servidores (e, nesses casos, quais esferas – estado ou municípios) e quantas foram de profissionais atuavam na rede privada.

Igualmente, é importante saber em quais unidades ocorreram mais contaminações e mortes. Ao esconder os dados, o governo dificulta a fiscalização e a responsabilização de gestores. E também impede que medidas mais eficazes sejam estabelecidas.

Em reunião com a SESA-PR, realizada em 26 de fevereiro com a mediação do MPT-PR, o SindSaúde-PR voltou a cobrar os dados sobre da pandemia na nossa categoria. Como resposta, a Secretaria afirmou que naquele momento não tinha informações sobre a quantidade de Comunicações de Acidente de Trabalho (CAT) emitidas.

Por isso, algumas questões ficam em aberto: O que o governo tenta esconder? A pedido de quem? Sob quais interesses? Para proteger quem?

 

Dados fazem diferença?

 Durante a pandemia, ficou comprovado que governos com setores de Inteligência ágeis conseguem ser mais efetivos no combate ao avanço da doença, diante da agressividade do novo Coronavírus e das suas variantes.

Vietnã, Austrália, Coréia do Sul, Cuba e Nova Zelândia são exemplos de países que agiram rapidamente e se mantêm com números praticamente zerados neste momento (inclusive com a retomada da maioria das atividades econômicas). Todos eles possuem estudos constantes de rastreamento de dados.

Por aqui, a carência de informações é mais uma falha do governador Ratinho Jr na condução da pandemia, que reflete na insegurança das servidoras e dos servidores da SESA-PR.

A falta de transparência de sua gestão é uma escolha política, que só contribui para que mais vidas de trabalhadores e trabalhadoras sejam perdidas para a Covid-19.

 

Fonte: SindSaúde-PR