Notícias

Para a Secretaria de Estado da Saúde vidas valem menos que o mercado

Na última sexta-feira (22), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) publicou a Nota Orientativa 34/2020 permitindo a abertura de shoppings, centros comerciais e galerias em todo o estado. Nesta segunda-feira (25), vários estabelecimentos já abriram suas portas. De fato, os governantes paranaenses não se importam com a vida da população, e nem com a das profissionais e dos profissionais de Saúde.

A nota foi elaborada em conjunto com a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, mostrando que a irresponsabilidade foi cometida a muitas mãos.

Estamos em um momento em que os casos confirmados e mortes por Covid-19 estão aumentando (fora as subnotificações). Essa decisão do governo do estado do Paraná e das prefeituras poderá causar o colapso do sistema público de Saúde em breve.

Além disto a nota não designa quem será responsável por fiscalizar se as medidas restritivas estão sendo aplicadas. Por exemplo, não há como se certificar se uma pessoa tem quadro assintomático e está transmitindo o vírus ou ainda quem tomou antitérmico e apresentará baixa temperatura pelo detector.

Durante a refeição, as pessoas tirarão as máscaras para se alimentar nas praças de alimentação podendo desta forma se contaminar ou transmitir o vírus, mesmo com as medidas adotadas de higienização e espaçamento entre as mesas. As trabalhadoras e os trabalhadores dos shoppings correrão muito mais riscos de adoecer e de morrer.

Essas medidas vão na contramão das evidências científicas. Os países mais desenvolvidos só começaram a flexibilizar as medidas quando as curvas de contaminação e de morte começaram a cair, o que não é o caso do Brasil, que hoje assume a segunda posição no número de casos e caminha para ficar também em segundo no número de mortes notificadas.

Não é por falta de aviso. Não bastasse apenas esses governantes não estarem fazendo sua parte, cada vez mais estão atuando contra a vida dos servidores e da população paranaense.

Denúncia no MPT-PR

Junto com outras entidades, o SindSaúde-PR protocolou uma solicitação para que o Ministério Público do Paraná (MPT-PR) atue para coibir a abertura de shoppings, centros comerciais e galerias no estado.

As entidades solicitaram apoio para preservar a vida da população paranaense e das servidoras e servidores da Saúde, mantendo o fechamento dessas atividades não essenciais.

Fonte: SindSaúde-PR