Notícias

No Dia dos Trabalhadores, SindSaúde-PR exige respeito à vida dos profissionais de Saúde

Hoje, dia 1º de maio, é um dia marcante para o movimento sindical.
Infelizmente, pelo segundo ano consecutivo o SindSaúde-PR não poderá ocupar as ruas junto aos trabalhadores e trabalhadoras do Paraná, mobilizando a categoria pela garantia de direitos, porque ainda enfrentamos uma pandemia sem controle.
Em nossa trajetória de lutas, sempre utilizamos a agenda do Dia dos Trabalhadores e das Trabalhadoras para pautar questões essenciais como valorização, respeito e reconhecimento.
Hoje, porém, além dessas demandas básicas, exigimos o direito à vida.
O contexto da pandemia do Coronavírus tem sido muito cruel com os profissionais da Saúde não só daqui do Paraná, mas de todo o Brasil (e de outros países também, mas em menor escala).

Prestamos nossa homenagem a todos aqueles que se foram e aos que estão na linha de frente, expondo suas próprias vidas em risco para salvar a vida de outros tantos brasileiros.
A ineficiência, a irresponsabilidade e a negligência dos governos colocam todo o peso do enfrentamento à Covid-19 nas costas de quem está trabalhando nos hospitais e unidades de atendimento.

Se não bastasse, o Paraná também um governador (Ratinho Jr), que vem priorizando os interesses do poder econômico e contribui com o cenário de exaustão da nossa categoria, ao mesmo tempo em que retira direitos com imensa velocidade.
Nossa categoria lida com o estresse e o cansaço há mais de um ano, praticamente sem descanso.
Com sua política de morte, Bolsonaro já deixou centenas de milhares de famílias brasileiras em luto. Muitas delas, de profissionais de Saúde que estavam em atividade.

Além da dor de perder amigos e colegas, os demais profissionais estão tendo que aprender como enfrentar, todos os dias, outros óbitos que poderiam ser evitados, caso houvesse a devida atenção do poder público.
Junta-se a isso o cotidiano hospitalar cada vez mais marcado pela falta de leitos e de insumos básicos, como EPIs, oxigênio e medicamentos sedativos, por exemplo.
Sentiremos os efeitos da pandemia sobre os profissionais de Saúde por muito tempo. A ação dos governos para mudar essa situação é urgente.
Neste dia, reforçamos nossa luta por vacinas, direitos e vida!

 

 

Fonte: SindSaúde-PR