Geral

Hospital de Guaraqueçaba pede socorro

A direção do SindSaúde-PR esteve nesta quinta-feira e sexta-feira, 23 e 24 de junho, no Hospital Regional Lucy Requião, em Guaraqueçaba, para atualizar a categoria sobre o andamento das negociações com o Governo do Estado e acolher as demandas do local de trabalho. 

A direção verificou que há problemas nas condições de trabalho, faltam equipamentos e insumos para o atendimento da população, as ambulâncias estão sucateadas e sem condições para uso. O aspecto mais grave, e que necessita de uma atenção especial, é o acesso aos serviços de saúde. A população que precisa de procedimentos que não são realizados em Guaraqueçaba, tem que se deslocar até Paranaguá e Curitiba.

“Por terra a estrada é muito precária e a viagem dura em torno de quatro horas. Imagina isso para uma parturiente ou um paciente que necessite de atendimento de urgência. O governo precisa tratar esse Hospital de modo diferenciado dos demais, pois há situações muito específicas em Guaraqueçaba”, salienta a diretora do SindSaúde, Doroteia Caetano.

O deslocamento por via marítima também tem complicações. “O Estado não disponibiliza um barco e, quando há necessidade, os pacientes usam o barco da prefeitura. Mesmo assim, a viagem também é extremamente difícil. O Hospital de Guaraqueçaba precisa urgente de ajuda”, afirma Luciane Borges, diretora do SindSaúde-PR.

De acordo com a diretora Olga Estefania, que  é conselheira do Conselho Estadual de Saúde, “a questão do transporte da população de Guaraqueçaba para atendimento de urgência carece de efetivação pois é histórico o problema enfrentado nestas situações. Tem um barco que ainda não foi habilitado totalmente, e é necessário o uso frequente do helicóptero para urgências, cujo uso depende das condições climáticas para ambos os meios. Este é um debate que deve ser seriamente realizado pelos Conselhos de Saúde Municipal e Estadual, pois é necessário que o controle social atue no sentido de apresentar propostas que atendam às necessidades de saúde daquela população”.

Um relatório detalhado será elaborado pela direção do SindSaúde-PR e levado até a Secretaria de Estado da Saúde a fim de exigir do governo medidas para solucionar os problemas relacionados às condições de trabalho do Hospital Estadual Lucy Requião.