Notícias

Governo estadual abandonou profissionais da Saúde e agora finge “homenagem”

Governo estadual abandonou profissionais da Saúde e agora finge “homenagem”
Celebrações da Semana da Pátria, em comemoração aos 199 anos da Independência do Brasil, começaram nesta quarta-feira (1) no Paraná com um evento realizado no Palácio Iguaçu, em Curitiba. 01/09/2021 - Foto: Geraldo Bubniak/AEN
Governo estadual abandonou profissionais da Saúde e agora finge “homenagem”

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Segundo o dicionário Michaelis, hipocrisia é o “ato ou efeito de fingir sua verdadeira personalidade, intenções ou sentimentos” e o “caráter ou atributo daquilo que é falta de verdade ou de sinceridade; embuste, insinceridade”.

A palavra é perfeita para definir a “homenagem” prestada por Ratinho Jr aos profissionais da Saúde, em cerimônia realizada em 1º de setembro, no Palácio Iguaçu, em alusão à “Semana da Pátria”.

Como pode haver sinceridade numa homenagem a trabalhadores e trabalhadoras que foram abandonados por esse mesmo governo durante a pandemia?

Será que a melhor maneira de reconhecer a importância dos profissionais da Saúde não teria sido ter responsabilidade e atenção com suas vidas, condições de trabalho, salário, direitos e dignidade?

 

“Homenageados” pagaram com suas vidas o descaso do governo

A verdade dissimulada por trás da hipócrita cerimônia é de uma categoria abandonada pelo governo. Diante do risco das atividades desempenhadas, esse descaso muitas vezes foi cobrado em vidas.

Segundo dados da SESA-PR, 673 profissionais da saúde morreram no Paraná em decorrência da Covid-19, sendo 183 da Enfermagem.

Além do número alarmante indicar a ineficiência das medidas de prevenção tomadas, que por sua vez são fruto de uma postura negacionista por parte da gestão de Ratinho Jr, o governo ainda não tem transparência na divulgação dos dados, que são fornecidos sem detalhes e muitas vezes de forma atrasada.

A quantidade de mortes de profissionais da Enfermagem no Paraná é elevadíssima. Segundo levantamento do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), até julho deste ano 838 profissionais da área haviam morrido em decorrência da Covid-19 em todo o Brasil. Isso significa que mais de 20% das mortes ocorreram em um estado que possui apenas 5% da população nacional.

Ratinho Jr. sucateou ainda mais a Saúde do Paraná

A saúde pública no Paraná já sofria com cortes e falta de investimentos desde a gestão de Beto Richa, e o governo Ratinho Jr não melhorou a situação em nada. Desde o início de seu mandato, jamais atingiu os gastos mínimos obrigatórios de 12% com a Saúde, utilizando-se de manobras para burlar essa obrigação.

O governo estadual reduziu em 2,40% os investimentos na Saúde em seus dois primeiros anos de mandato, destinando 100 milhões a menos para a área.

Durante a pandemia, em vez de ampliar o investimento, houve corte de R$ 112 milhões em relação ao ano anterior.

Em seus dois primeiros anos, Ratinho Jr reduziu 8% o número de servidoras e servidores da Saúde, com 615 postos a menos do que no início de 2019.

A defasagem atual é de quase 38% em relação à quantidade de vagas disponíveis. Das 11.319 vagas disponíveis por lei, 4.198 estão desocupadas.

Por mais que o SindSaúde-PR tenha pressionado pela realização de concursos, o governo nada fez para suprir essas lacunas, que obviamente impactaram o combate à pandemia e o atendimento aos paranaenses.

Para piorar, o governo sequer utilizou todos os recursos de que dispunha para o enfrentamento da Covid-19. Segundo relatório da Fazenda estadual, parte dos recursos foi usada em outras áreas, como na reforma de escolas e aquisição de materiais e equipamentos.

Até compras de merenda escolar foram feitas com recursos que deveriam ser utilizados para salvar vidas!

Antes de usar a imagem dos profissionais da Saúde para fazer propaganda política, o governador deveria começar respeitando a categoria e os serviços públicos de nosso estado.

Fonte: SindeSaúde