NotíciasNotícias jurídicas

Em reunião, SindSaúde-PR apresenta reivindicações ao secretário de Saúde

A direção do SindSaúde-PR se reuniu na quarta-feira (22) com o secretário estadual da Saúde, Carlos Alberto Gebrim Preto, para tratar de demandas das servidoras e dos servidores, e de medidas de proteção a respeito da pandemia da Covid-19. Várias reivindicações da categoria foram levadas diretamente ao titular da SESA.

O encontro discutiu vários pontos no enfrentamento à crise. Uma nova reunião foi marcada para 4 de maio. 

Encaminhamentos

O SindSaúde-PR solicitou informações concretas sobre o número de trabalhadoras e trabalhadores da SESA afastados por síndrome gripal, síndrome respiratória aguda grave ou suspeita de Covid-19 desde o início da pandemia. O Grupo Setorial de Recursos Humanos (GRHS) irá buscar os dados junto à Divisão de Medicina e Saúde Ocupacional (DIMS).

sindicato denunciou a falta de testes para profissionais que tiveram contato com colegas que positivaram e que seguem em atividade colocando em risco outras pessoas, inclusive trabalhadoras e trabalhadores da Saúde. Deste modo, o secretário abriu canal para o SindSaúde-PR fazer as denúncias e solicitará a prioridade às secretarias municipais para que as servidoras e os servidores sejam testados dentro do pacote de 52 mil kits distribuídos recentemente aos municípios. A SESA afirma que a Nota Técnica nº5 foi emitida com este intuito e solicitou ao sindicato que analise e envie sugestões de mudanças para que a Secretaria encaminhe as orientações às Regionais de Saúde e municípios.

O sindicato também solicitou que o Lacen e o Instituto de Biologia Molecular do Estado (IBMPR) fabriquem testes. A SESA informou que os órgãos já produzem testes, mas que analisam a resposta do sistema imunológico à infecção e que podem gerar falsos negativos. A secretaria sugeriu a participação do SindSaúde-PR nas reuniões com os dois órgãos sobre o assunto.

O SindSaúde-PR solicitou o afastamento imediato de trabalhadores em situação de risco, assim como a efetivação mediata do afastamento de profissional na ocorrência de contaminação de pessoa que trabalhe no mesmo local/departamento. A entidade reforçou a necessidade de que haja afastamento durante a tramitação do processo de quem solicitou pertencimento a grupo de risco. E que o fluxo dos processos seja agilizado não retornado ao GRHS depois de passar pelo secretário. O GRHS concordou com as reivindicações e irá implantá-las a partir do dia 24.

O sindicato teve a concordância do secretário sobre a suspensão da reposição dos pontos facultativos de 2020 e apresentará esta reivindicação para a SEAP, pois se trata de assunto com normativa geral para todas as servidoras e os servidores.

O SindSaúde-PR apresentou a reivindicação da manutenção do plano de carreira e que haja uma gratificação especial às servidoras e servidores da Saúde durante todo o período da pandemia por estar uma situação de maior risco de vida. Neste ponto o secretário pediu oficialização para apresentar o pleito ao governador.

O SindSaúde-PR apresentou a reivindicação de aplicação de teletrabalho para as atividades burocráticas  nos prédios administrativos da SESA e Regionais de Saúde. O GRHS irá providenciar memorando para que as unidades avaliem os casos e implementem o teletrabalho para estas atividades. O pedido veio também do SindSaúde-PR com o intuito de diminuir a aglomerações de quem executa funções administrativas.

sindicato denunciou assédio moral em várias unidades do estado, com destaque para algumas unidades hospitalares que atendem os casos da Covid-19. Essas denúncias foram protocoladas e ainda não tiveram retorno. A SESA fará este levantamento e dará retorno na reunião do dia 4 de maio. O sindicato propôs a constituição de uma comissão para averiguação das condições de trabalho composta por representantes do SindSaúde-PR e pela SESA, de técnicas e técnicos dos CERETS e das CCIHs (esta última para os casos dos hospitais). O SindSaúde-PR denunciou ainda que não houve a publicação em portaria da Comissão de Saúde da Trabalhadora e do Trabalhador e que a entidade já apresentou os nomes de sua representação no ano passado. O secretário alterou o fluxo das denúncias, que serão passadas diretamente para seu gabinete para visto e encaminhadas posteriormente para resolução.

SindSaúde-PR denunciou a ausência de plano de contingenciamento em várias unidades que apresentam irregularidades, sendo as mais graves a falta de EPIs e álcool gel, assim como a falta de orientação permanente e de cursos sobre Biossegurança relacionados ao vírus da Covid-19. A SESA se responsabilizou em retornar até o dia 4 de maio com as medidas adotadas para a resolução das denúncias.

sindicato também denunciou a terceirização no Hospital Zona Norte de Londrina. Segundo o GRHS, a medida seria temporária e para cobrir o afastamento de funcionárias e funcionários de grupos de risco.

Até a próxima reunião, em 4 de maio, o sindicato irá acompanhar e fiscalizar o andamento dos itens acordados e os compromissos assumidos pelo secretário.

Fonte:SindSaude-PR