Notícias

Em nova audiência, SESA se mantém inflexível sobre teletrabalho, redução de carga horário e escalonamento de jornada de trabalho

Foto: SESA

Em audiência realizada entre o SindSaúde-PR sob mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT) nesta segunda-feira (18), a Secretaria de Estado da Saúde (SESA) mostrou-se inflexível quanto à adoção de teletrabalho em funções realizadas no Prédio Central e nas Regionais de Saúde, especialmente para quem possui filhas ou filhos em idade pré-escolar, mesmo diante da proposta da implantação de jornada em escala de 12×36 para diminuir trânsito e aglomerações, assim como para a proposta de redução de jornada semanal.

As propostas apresentadas pelo SindSaúde-PR ajudariam a reduzir o risco de contágio de servidoras e de servidores por Covid-19 durante a pandemia. Tais medidas não prejudicariam em nada o andamento das atividades realizadas, havendo ainda a possibilidade de agilizar os processos de trabalho.

Os representantes da Secretaria mantêm apenas e unicamente o cumprimento do art. 11 da Resolução 339/2020, ou seja, horários diferenciados para entrada ou saída da mesma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Caso sejam reduzidas as jornadas diárias durante a semana, as mesmas deverão ser complementadas aos sábados. Esta incompreensão da SESA leva à exposição maior ainda ao risco de contaminação e não soluciona o caso da vulnerabilidade das crianças.

O SindSaúde-PR insistiu para que sejam revistos os pedidos de teletrabalho negados pela SESA e que nesta reconsideração sejam levados em conta os pareceres das chefias imediatas. A secretaria comprometeu-se a revisar os pedidos até o fim deste mês de agosto.

 

Transparência

O SindSaúde-PR também reivindicou que a SESA seja transparente quanto à divulgação de casos de contaminação pelo novo Coronavírus entre as servidoras e os servidores da Saúde. Atendendo à solicitação do sindicato, a Secretaria se comprometeu em apresentar levantamento do número de profissionais que atuam nos setores das Regionais de Saúde, do Prédio Central, e demais unidades (onde são exigidos o uso de computador e rede de internet para exercer suas funções), para se conhecer qual o universo de pessoal que seria atingido pelas medidas propostas.

Uma nova audiência está marcada para daqui a 20 dias (início de setembro).

 

Fonte: SindSaúde-PR