Notícias

É mentira que a Reforma Administrativa pretende “acabar com privilégios”

🗣 O governo mente (de novo), dizendo que a Reforma Administrativa (PEC 32/2020) vai ”acabar com privilégios”.

🎩 A verdade que a PEC 32 poupa, justamente, as carreiras com maiores salários e benefícios (juízes, desembargadores, promotores, procuradores, militares, políticos). Ou seja, são os que estão no topo e, “por coincidência”, estarão envolvidos no desenrolar das investigações e das acusações de crimes que teriam sido cometidos por membros da família presidencial.

🤔 Afinal, você já parou para se perguntar por que o governo está protegendo apenas esses setores?

😲 Veja bem: quem apresenta acusações são os promotores e procuradores. Quem pode julgar na primeira instância são juízes. Na segunda instância são desembargadores e, nas últimas instâncias, são ministros (STJ e STF). Quem julga pedido de impeachment são os parlamentares (políticos) do Congresso. E os militares ajudam a dar sustentação ao governo, ameaçando a população e a democracia.

⛑ E, enquanto eles escondem isso de você, retiram os direitos dos servidores públicos que atuam diretamente no atendimento à sociedade (como os da Saúde, Segurança Pública e Educação, por exemplo, que correspondem a mais de 60% do funcionalismo público). Ou seja, de quem está na base (mais de metade recebe o equivalente a menos de 3 salários-mínimos).

🤥 É isso mesmo. A Reforma Administrativa é tão discrepante que atingiria os servidores do Judiciário (técnicos, oficiais de Justiça, psicólogos, assistentes sociais e outros) mas não os juízes e os desembargadores. 🙄

Porque, na verdade, o objetivo do governo é apenas enfraquecer os serviços públicos, abrindo espaço para que a iniciativa privada se aproveite para lucrar sobre as necessidades da população. Terceirização irrestrita, corrupção, rachadinhas e cargos ocupados por apadrinhados políticos se tornarão regra no espaço público 😒

📢 Antes que seja tarde, ajude a barrar a Reforma Administrativa e valorize o serviço público. Afinal, ele sim, é para todos. ✊

 

Fonte: SindSaúde-PR