Notícias

Direção do Hospital ameaça servidoras e servidores e terceiriza funções na recepção do Hospital Regional do Sudoeste (Francisco Beltrão)

Foto: SESA

A direção do Hospital Regional do Sudoeste, administrado pela Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Funeas), está alterando a jornada diária de trabalho de auxiliares e de técnicas e técnicos administrativos estatutários, de 12 horas para 8 horas além de substituir este coletivo por trabalhadores terceirizados.

Segundo o SindSaúde-PR, a direção do hospital adotou a estratégia de chamar individualmente cada servidor e servidora para informar que contratará terceirizados para desempenhar as mesmas funções. Desta forma todas e todos serão realocados internamente e externamente.

“Solicitamos esclarecimentos quanto ao contrato da execução desses serviços pela administração indireta, considerando que a lei da terceirização 189/2020, em seu art. 2°, admite apenas a execução desses trabalhos quando não existem cargos públicos com atribuição para executá-las, sendo assim é inadmissível sob o ponto de vista legal e moral desta situação, porque fere os princípios fundamentais da administração pública como legalidade, impessoalidade, publicidade, moralidade e eficiência”, afirma a coordenadora-geral do SindSaúde-PR, Olga Estefania.

Além disso, o SindSaúde-PR requereu que a direção do hospital realize uma reunião com todos os envolvidos de maneira coletiva, pois a estratégia de convocá-los individualmente intimida e amedronta, impedindo a categoria de expor os problemas advindos desta mudança nas suas escalas de trabalhos, na jornada diária assim como na função desenvolvida trarão para a organização de suas vidas nos aspectos social e financeiro.  “O método adotado pela direção do hospital nesse processo causa temor nos profissionais, que receiam ser perseguidos. Isso se caracteriza sim como assédio moral. Já protocolamos ofício na Sesa e no Ministério Público (MP), solicitando providências”, completa Olga Estefania.

Fonte: Sindsaúde