Notícias

Dia do Basta: por reposição salarial, SindSaúde-PR e servidores paranaenses param Ponte da Amizade

Dia do Basta: por reposição salarial, SindSaúde-PR e servidores paranaenses param Ponte da Amizade

Dia do Basta: por reposição salarial, SindSaúde-PR e servidores paranaenses param Ponte da Amizade

A Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este, no Paraguai, amanheceu nesta segunda-feira (27) tomada por centenas de servidoras e servidores públicos do Paraná que, apesar de todas as limitações impostas pela pandemia de Covid-19, foram dar um recado ao governador Ratinho Jr: chega de impor sofrimento ao funcionalismo estadual.

Por conta da situação intolerável, a manifestação foi denominada de “Dia do Basta”.

Com o governo estadual recusando a reposição inflacionária, a defasagem salarial até o último mês de maio (data-base) chega a cerca de 25%, o que impacta gravemente a vida de servidoras e servidores e também de suas famílias.

 

Mobilização

Contando com carros de som e muitas faixas e bandeiras, o protesto ocupou toda a Ponte da Amizade e, mesmo tendo causado impactos no trânsito, recebeu apoio e solidariedade das pessoas que faziam a travessia sobre o Rio Paraná.

A manifestação foi organizada pelo Fórum de Entidades Sindicais (FES), do qual o SindSaúde-PR faz parte, e pela União das Forças de Segurança (UFS). O sindicato garantiu alimentação e transporte para as servidoras e servidores da SESA-PR. Juntas e juntos, marcaram presença com um combativo bloco de manifestantes, cobrando também a reposição da GAS.

Ônibus foram mobilizados da capital e também de Ponta Grossa, Guarapuava, Londrina, Maringá, Cascavel, Francisco Beltrão e Campo Mourão, para garantir a participação de membros das diferentes categorias.

 

Inflação engole salário dos servidores

Enquanto Ratinho Júnior ignora a necessidade de reposição salarial do funcionalismo, a inflação no país durante os últimos doze meses foi estimada em cerca de 10%.

De janeiro a agosto, a energia elétrica subiu 7,15% no Brasil e, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a tendência é que em 2022 o valor aumente mais 16%. Nos últimos cinco anos, o aumento total foi de 77%.

Também levando em conta os últimos cinco anos, o valor dos alimentos disparou: 397% de aumento no preço da batata, 344% do tomate, 199% do arroz, 72% da carne.

Já o litro da gasolina, que em janeiro de 2016 custava R$ 3,76, hoje é vendido a mais de R$ 7,00 em várias regiões do país.

Enquanto ignora as necessidades de servidoras e servidores e de suas famílias, o governador Ratinho Jr mantém os grandes empresários muito bem alimentados com dinheiro público. Para o orçamento de 2022, o governo estadual aumentou as isenções fiscais a grandes empresários e ao agronegócio em R$ 5 bilhões, em relação a 2021. Serão R$ 17 bilhões de reais, valores são mais do que suficientes para pagar a reposição inflacionária aos servidores e investir em políticas públicas para atender a população.

Com o avanço da vacinação (apesar de lenta), as servidoras e os servidores paranaenses começarão a se mobilizar com mais força nas ruas.

Fonte: SindSáude-PR