Notícias

Corrupção à la Richa!

A manhã dessa quinta-feira, 22 de fevereiro, foi agitada no Palácio Iguaçu. Mais uma vez pessoas do alto escalão da gestão Beto Richa apareceram na mira de investigações policiais. Dessa vez a PF – Polícia Federal – chegou a fazer buscas na sede do governo. A denúncia é que existe uma rede de lavagem de dinheiro que funciona entre governo, empreiteiras e concessionárias de pedágio.

De acordo com as investigações da PF, pessoas ligadas ao comando central do governo Richa faziam pressão para favorecer as concessionárias de pedágio e empreiteiras contratadas para cuidar das estradas federais. O diretor-geral do DER-PR, Nelson Leal, foi preso e o assessor comissionado da Casa Civil, Carlos Nasser, teve vários documentos apreendidos para investigação.

A suspeita é que as empresas superfaturavam o valor das obras. Parte do dinheiro lavado ia para os funcionários do alto escalão do governo e parte ficava com as empreiteiras. As concessionárias entravam na jogada ao receber a autorização para cobrar valores maiores dos consumidores. Enquanto empresas de outros estados chegam a cobrar R$0,04 por quilômetro, no Paraná o valor é RS 0,13. É gritante a desigualdade.

Vergonha! – Depois de saber que o dinheiro dos impostos foi desviado em Londrina, que a verba para a construção de dezenas de escolas pode ter sido desviada, chega a denúncia do pedágio. O governo Richa vive atolado em escândalos. Polícia no Palácio Iguaçu já é banal.

Por essas e outras é que a brava gente prepara um movimento forte em 2018. Pelo menos R$ 63 milhões foram para corrupção só nesse caso de acordo com a PF. É por isso que o governador não pode pagar reajuste para servidoras/es. É por isso que o Estado do Paraná foi o primeiro a quebrar em 2014 e só se reergueu porque afanou o dinheiro da previdência do funcionalismo.

Não tem como não estar indignado!