Notícias

Ano novo, velha política: Ratinho Jr quer dar novo calote no funcionalismo

O governador do Paraná, Ratinho Jr, enviou um despacho à Secretaria de Administração e Previdência do Estado (SEAP) alegando que “o orçamento previsto para o exercício de 2021 não comporta a totalidade dos gastos com pessoal”.

No mesmo despacho, o governador afirma que “diante do exposto e aliado ao fato do cenário estadual e nacional vivenciado em meio a pandemia do COVID-19, entende-se, ao menos de momento, pela impossibilidade de implantação do reajuste do funcionalismo público”.

Isso significa que o governador vai descumprir o acordo firmado para o encerramento da greve do serviço público estadual em 2019. Nele, estava previsto o pagamento da data base do período 2018/2019 em três parcelas: 2% em janeiro de 2020 (já paga), 1,5% em janeiro de 2021 e mais 1,5% em janeiro de 2022.

 

Mais mentiras do governo

O governo afirma não ter recursos financeiros para arcar com o aumento ao mesmo tempo que concede incentivos fiscais na ordem de R$ 12 bilhões por ano para grandes empresários e para o agronegócio. Esse valor representa cerca de dez vezes mais do que o necessário para honrar os compromissos com as servidoras e com os servidores.

O acordo que o governador não quer cumprir é apenas uma pequena parte da defasagem salarial do funcionalismo. Há pelo menos 18,24% de reposição que não foi paga desde 2017, destruindo o poder de compra de quem atua na defesa do cidadão.

Para o SindSaúde-PR, o calote demonstra a falta de respeito com quem continuou fazendo o Paraná andar durante a pandemia e com quem colocou a própria vida em risco para salvar a população, como é o caso das servidoras e dos servidores da SESA-PR.

Junto com os demais sindicatos do funcionalismo estadual, estamos em luta para fazer com que o governo honre com seus compromissos, e tomaremos outras medidas, caso ele não cumpra com sua palavra.

 

Fonte: SindSaúde-PR