NotíciasNotícias jurídicas

SindSaúde-PR cobra da SESA-PR a implantação imediata do teletrabalho

Na última terça-feira (16), a diretoria do SindSaúde-PR esteve na Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA-PR) para reivindicar, junto com as servidoras e os servidores, o teletrabalho imediato a todos trabalhadores e trabalhadoras da SESA-PR que possuam fatores de risco; morem com familiares pertencentes a grupos de risco, e/ou que estejam com dependentes em idade escolar em casa.

Desde o início da pandemia o SindSaúde tem lutado no sentido de garantir o teletrabalho para as servidoras e os servidores da SESA-PR porque entende que a adoção à medida é fundamental enquanto os informes epidemiológicos não demonstrarem redução sustentada de casos de óbitos, a ocupação de leitos hospitalares se mantiver alta, e toda a população não for vacinada, inclusive com eficácia comprovada contra as novas variantes.

Solicitamos também ao secretário da pasta, Beto Preto, adoção imediata de regime de trabalho em escalas a todos servidores e servidoras, visando redução de 50% no número de pessoas circulando diariamente nos prédios administrativos da SESA-PR. Desta forma, as atividades presenciais seriam realizadas em escalas de revezamento.

A ação é necessária para garantir a segurança dentro do prédio da SESA-PR. O Sindicato confirmou que medidas necessárias no combate à Covid-19 não estão sendo praticadas no local, como a recomendação de distanciamento de 1,5 metros entre as mesas, manutenção de boa circulação de ar nos ambientes e barreiras de vidro entre as trabalhadoras e os trabalhadores.

Além disso, a área destinada para a refeição não está mais à disposição da categoria. A decisão obriga trabalhadoras e trabalhadores a realizarem suas refeições nas próprias mesas de trabalho.

Durante a presença do SindSaúde-PR no ato, foi encaminhado para protocolo o novo documento elaborado pela categoria, solicitando mais uma vez a imediata providência do secretário para adoção de medidas eficazes que contenham o vírus e novos surtos no prédio central e nas Regionais de Saúde.

Repetindo o que tem feito com frequência, o secretário não atendeu ao grupo de servidoras que estava presente no gabinete, mostrando o total desrespeito e a sua falta de valorização aos trabalhadores e trabalhadoras da Saúde.

O Sindicato acredita que ações dentro da SESA-PR não impactariam apenas nos servidores e servidoras que lá trabalham, mas toda população, uma vez que a iminência de colapso dos serviços de saúde demanda a restrição máxima de exposição ao risco de contaminação por parte de todas as pessoas.

Mais uma vez a mobilização da categoria neste momento de crise sanitária será de extrema importância. O que cai do céu é chuva o resto é luta!

 

 

Fonte: SindSaúde-PR