NotíciasNotícias jurídicasVídeos

SindSaúde-PR garante manutenção da creche Cantinho Feliz

Uma atuação conjunta entre representantes do Sindsaúde, mães e pais garantiu que a creche Cantinho Feliz permanecerá aberta para receber filhas e filhos de servidoras e servidores da saúde do Paraná. A unidade escolar atende 52 famílias.

No início de fevereiro, mães e pais foram comunicados sem aviso prévio de que a escolinha seria fechada e que, consequentemente, as crianças deveriam ser alocadas em escolas da rede pública de Curitiba. Porém, o período de matrículas foi encerrado no ano passado.

Além disso, há toda uma relação humana que não podia ser simplesmente abandonada. A Cantinho Feliz, administrada pela secretaria de estado da saúde, tem mais de 30 anos de funcionamento e é parte de uma cultura institucional e que ajudou no cuidado das crianças de várias gerações de sanitaristas.

Sendo assim, os representantes do Sindsaúde e uma comissão de pais e mães foram até o gabinete de Saúde do Paraná e obtiveram o compromisso de garantir vagas na escola até a idade de ingresso no ensino fundamental das escolas municipais de Curitiba.

“Essa reunião foi de extrema importância para assegurar o reestabelecimento da escola e, assim que o decreto governamental permitir o retorno as crianças, filhas e filhos de servidoras e servidores da secretaria de estado da saúde podem retornar para a escola Cantinho Feliz”, resume Olga Estefania, coordenadora geral do Sindsaúde.

 

Formatura e Tranquilidade

“Nós morremos de saudade de chegar nesse portão aqui e entregar as mochilinhas das crianças para as mãos das professoras”, diz Magali, enfermeira da Hemepar. “Aqui as crianças se sentem à vontade, são amadas, temos alimentação, disponibilidade dos funcionários e por isso a gente se sente tranquilo. Somos profissionais de saúde e precisamos de tranquilidade para estarmos dedicados às atividades da Sesa (Secretaria da Saúde do Paraná)”.

“Eu tenho dois filhos. A Raquel saiu o ano passado e está indo para uma escolinha municipal sem formatura. A gente quer que o Cantinho Feliz abra novamente e ela tenha a oportunidade de receber o canudo das mãos da diretora. O Manolo está vindo para o Maternal II e é muito feliz aqui desde o berçário”, acrescenta Magali.

A técnica de enfermagem Rosemere comentou que sentiu muita angústia e preocupação com a possibilidade de fechamento da Cantinho Feliz. Agora, diz, vê uma luz no fim do túnel. “Meu filho foi acolhido nessa creche, o que nos trouxe muita tranquilidade, porque através disso a gente conseguiu dar continuidade na nossa rotina, sabendo que aqui ele estava bem cuidado. Assessorado pelas professoras, pode desenvolver amiguinhos que levou para a nossa história.”

 

Fonte: SindSaúde-PR