Notícias

Ratinho Jr congela nossos salários enquanto dá benefícios bilionários a grandes empresários

Durante sua campanha eleitoral, Ratinho Jr convenceu grande parte dos paranaenses de que seria um gestor sério, responsável e comprometido com a população do estado. Mas bastou pouco tempo como governador para mostrar sua verdadeira face de gentil defensor das elites e de feroz agressor do funcionalismo público.

E quando o serviço público do Paraná está sob ataque, aqueles que dependem da Saúde pública, educação e segurança, por exemplo, também são afetados. O sucateamento do serviço público deixa os paranaenses sem atendimento, sem exames médicos, sem medicamentos na Farmácia Especial e até sem vacina.

 

Ratinho Jr não cumpre com a própria palavra

Quando candidato, Ratinho Jr falou que negociaria um planejamento do reajuste salarial para os quatro anos, para que não fosse necessário discutir ano a ano a questão.

Para o encerramento da greve do serviço público estadual em 2019, foi firmado um acordo prevendo o pagamento da data base do período 2018/2019 em três parcelas: 2% em janeiro de 2020 (já paga), 1,5% em janeiro de 2021 e mais 1,5% em janeiro de 2022.

Mas agora, ele voltou atrás (novamente) e desistiu de cumprir o compromisso assumido em 2019!

Se não fossem as greves de 2015 e 2019, a perda salarial do funcionalismo estadual chegaria a 35%. Hoje, está em 17,50%. Além disso, o SindSaúde-PR lutou durante todo o ano passado para que o governo implementasse as promoções e as progressões que estavam atrasadas desde o começo do ano e fomos vitoriosos no final do ano. O SindSaúde-PR também lutou para impedir que o governo retirasse a GAS e outras verbas dos salários da categoria durante a pandemia.

 

Para os grandes empresários, tudo (menos transparência)!

Para enganar a população, o governo diz que o orçamento previsto para o exercício de 2021 não comporta a totalidade dos gastos com pessoal, mas, ao mesmo tempo, pretende aumentar a concessão de incentivos fiscais de R$ 11 bilhões em 2020 para R$ 12 bilhões em 2022!

Esse valor representa cerca de dez vezes mais do que o necessário para honrar os compromissos com as servidoras e com os servidores do estado.

Ao abrir mão de recursos tão valiosos, Ratinho Jr favorece apenas um pequeno punhado de membros das elites, mas fragiliza os serviços públicos que podem beneficiar milhões de paranaenses.

Entre os setores beneficiados estão o de alimentos (passando de R$ 4,27 bilhões em 2020 para R$ 4,65 bilhões em 2021), agropecuária e pesca (de R$ 3,20 bilhões em 2020 para R$ 4,02 bilhões em 2021), automotivo (de R$ 1,1 bilhão em 2020 para R$ 1,21 bilhão em 2021) e metalurgia (de R$ 487 milhões em 2020 para R$ 530 milhões em 2021).

O setor de comunicações também está incluído nesta farra de benefícios. Foram mais de R$ 1,6 bilhão em 2020 e chegará a quase R$ 1,8 bilhão em 2022! Detalhe, o pai do governador é proprietário de canal de televisão no estado. Mas a “caixa preta” do governo é fechada e os dados dos beneficiados não são divulgados.

Ou seja, o governo gasta o quanto quer, beneficia quem quer, sem dar maiores explicações, e sem deixar nítido os critérios adotados para definir quem será agraciado com essas vantagens.

Além disso, o governador manteve a política de gastos milionários com propaganda. Só em 2019, foram R$ 123 milhões em publicidade institucional e legal do Executivo estadual e das empresas de economia mista.

Ratinho Jr mostrou ao longo do seu governo que está de fato comprometido apenas com as elites, enquanto despreza os servidores, persegue as entidades sindicais e não poupa esforços para retirar direitos do funcionalismo.

 

Fonte: SindSaúde-PR