SindSaude Domingo, 17 de novembro de 2019

Notícias

Imprimir
  • 26/08/2019

    DEMOCRACIA E SAÚDE: a jornada de lutas em defesa do SUS!

    DEMOCRACIA E SAÚDE: a jornada de lutas em defesa do SUS!
    Os representantes do SindSaúde Priscila, Rommel e Olga no Ato em Defesa do SUS durante a CNS
    Confira como foi a 16ª Conferência Nacional de Saúde

    No início de mês de agosto foi realizada a etapa final das conferências de saúde, a 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8 CNS) com a participação de 5.500 pessoas. O processo foi composto por diversas atividades com temáticas específicas preparatórias, além das conferências livres e das etapas municipais e estaduais da Conferência Nacional de Saúde, que aconteceram no período de janeiro a junho/2019.

    Foram realizados eventos como:

    - 1ª Conferência Nacional Livre de Juventude e Saúde.

    - Seminário de Saúde Mental.

    - 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde.

    - II Seminário Nacional de Saúde das Mulheres/2ª Conferência Nacional da Saúde das Mulheres: Fortalecimento do Controle Social no SUS.

    - Oficinas Macrorregionais de Orçamento e Financiamento da COFIN/CNS

    A metodologia da 8ª + 8 CNS foi composta pela programação oficial, por atividades autogestionadas e atividades culturais com 90 momentos de encontros.

    As propostas originadas nas conferências municipais e estaduais geraram relatórios que compuseram o Relatório Nacional Consolidado que foi submetido aos debates dos trabalhos em grupos e finalizado pela Plenária Final.

    Um dos resultados mais importantes foi a unidade de ação em Jornada de Lutas pelo SUS, com a programação de diversas atividades de massa. Esta iniciativa de unir esforços dos diversos movimentos foi assumida como deliberação da 8ª + 8 CNS em um documento único aprovado por 96% da plenária final. Nele a democracia é reafirmada como única alternativa para garantir a saúde pública e estatal sob controle da sociedade. Assim como a intensificação das mobilizações populares para denunciar e enfrentar retrocessos e defender o modelo de atendimento universal posto pelo Sistema Único de Saúde - SUS e que poderá ser extinto.

    O SindSaúde esteve representado por 3 colegas que foram eleitas e eleito na 12ª Conferência Estadual de Saúde e que relataram a experiência de forma diversa. Para Rommel Caetano, na 8ª+8 CNS todas as pessoas buscavam a melhoria e o fortalecimento do SUS. Ele também ressalta a oportunidade de assistir palestras de pessoas que lutam pelo SUS há muito tempo, assim como a presença de secretários e do ministro da saúde.

    Outro ponto importante segundo o servidor foram as mesas de debates e as tendas de práticas integrativas, em que foi possível conhecer melhor técnicas e benefícios, assim como pode participar de relatos e vivencias de representantes dos segmentos de trabalhadores, usuários e gestores em um espaço onde, segundo ele, “quem quisesse tinha direito a Voz para expressar suas ideias”. Ele lembra que uma das atividades mais importantes foi o ATO EM DEFESA DO SUS, além de moções e a construção do relatório final para as politicas públicas para os próximos 4 anos.

    Sob o ponto de vista de Priscila Brasil, a CNS foi um momento ímpar na consolidação da Saúde Pública no Brasil considerando os retrocessos e cortes no financiamento. Para ela, é “fundamental o fortalecimento do Controle Social.” Priscila lembra que o evento reafirmou os princípios e diretrizes do SUS em forte oposição ao governo do Brasil, atualmente alinhado com a iniciativa privada e que entende saúde como mercadoria. A servidora ressalta ainda a atividade autogestionada realizada pela Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, lá foram discutidas formas de enfrentamento contra a retira do SUS da agenda de prioridades desse governo.

    Para Olga Estefania, a 8ª + 8 CNS representou uma retomada fundamental em defesa da universalidade do SUS, do papel do controle social, da saúde pública e estatal, do protagonismo dos movimentos sociais na garantia das liberdades democráticas e dos princípios do SUS. Ela ressalta que a dinâmica e metodologia em que ocorreu a 16ª CNS oportunizou a diversidade na troca de experiências das/os participantes, o aprofundamento das discussões que envolvem as temáticas no campo da saúde coletiva assim como a necessidade de mobilizar para defender o orçamento para a viabilidade do SUS, como a luta pela REVOGAÇÃO DA EMENDA 95. Destaca que um dos resultados mais importantes foi a unificação dos diversos movimentos e partidos de esquerda em uma Jornada de Lutas, cujo documento pode ser acessado AQUI.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS