SindSaude Segunda-feira, 27 de maio de 2019

Notícias

Imprimir
  • 28/02/2019

    Números apontam que é possível pagar o reajuste

    Números apontam que é possível pagar o reajuste
    Rombo no salário irá superar os 16% em 2019

    Ontem, dia 27/2, na Assembleia Legislativa do Paraná, aconteceu a prestação de contas do governo referente ao 3º quadrimestre de 2018. O novo secretário da fazenda, Renê de Oliveira Garcia Júnior, manteve o discurso da gestão anterior, ao afirmar que o governo está próximo de ultrapassar o limite prudencial de gastos com pessoal. Ele reforçou a ideia de que a gestão precisa cumprir o acordo firmado com o governo federal, resultado da aprovação da EC 95 que congelou os investimentos públicos por 20 anos.

    Porém, a análise dos próprios dados apresentados nos permite dizer que o governo tem usado o limite de gastos como desculpa para não conceder a reposição. Segundo estudo do assessor econômico do Fórum das Entidades Sindicais – Fes – Cid Cordeiro, o resultado final do terceiro quadrimestre de 2018 comprova que o governo poderia ter concedido o reajuste de 2,76% em maio do ano passado. O projeto chegou a tramitar, mas foi engavetado, enquanto os demais poderes receberam o reajuste.

    Já sobre o limite de gastos com pessoal, o estudo do Fes aponta que o investimento com a folha salarial diminuiu. Em 2017 o Estado empregou 45,08% da receita corrente líquida com o pagamento da folha e, em 2018, esse percentual baixou para 44,56%. Esse valor está abaixo do limite prudencial que é de 46,55% e longe do limite legal, que é de 49%. Em resumo, há dinheiro em caixa e limite fiscal para que as/os servidoras/es do Executivo recebam os mesmos reajustes que os demais poderes receberam em 2017 – 4,08% - e 2018 - 2,76% -.

    Rombo no salário supera os 16% –Ainda segundo o estudo do Fes, a estimativa de reposição a ser paga em maio de 2019 é de 4,22%. Acumulando calotes desde 2015 as/os servidoras/es do Executivo chegarão em maio deste ano com um acumulado total de 16,24% de defasagem salarial. Um verdadeiro absurdo!

    O SindSaúde e as demais entidades que compõem o Fes tinham reunião marcado para ontem, 27/2, com os líderes do governo na Assembleia para tratar do assunto. Mas alegando problemas de agenda as/os paramentares não compareceram.

    Fique ligada/o em nosso meios de comunicação e atenda aos chamados do Sindicato, pois a luta pela reposição salarial irá continuar em 2019!

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS