SindSaude Terça-feira, 18 de junho de 2019

Notícias

Imprimir
  • 13/12/2018

    Funeas mostra a que veio em Francisco Beltrão

    Funeas mostra a que veio em Francisco Beltrão
    Administrado pela Funeas, HRL também sofre com a falta de materiais básicos
    Falta de materiais já compromete procedimentos

    Nota publicada pela Associação Médica do Paraná – AMP – no último dia 7 de dezembro revela como estão as coisas no HRS – Hospital Regional do Sudoeste. A Associação denuncia que o Hospital, que é administrado pela Funeas há menos de um ano, enfrenta uma crise de abastecimento que pode interromper as cirurgias a qualquer momento.

    A lista de materiais faltantes abrange órtese e próteses, materiais especiais como placas, parafusos, insumos para fixação de fraturas entre outros. Ainda de acordo com a AMP, a causa do desabastecimento é a falta de pagamento a fornecedores por parte da Funeas.

    De acordo com fontes do HRS, o desabastecimento já tem causado o adiamento de cirurgias. Muitos pacientes que já poderiam ser operados seguem aguardando no leito por conta desse problema. A gestão, por sua vez, alega que a crise já foi solucionada, embora o número de cirurgias esteja estagnado.

    Leia a nota da AMP AQUI

    Exemplo – A história do HRS é muito parecida com a do HRL – Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá. A Funeas assumiu o Hospital e, mesmo com os fartos recursos destinados pelo governo do Estado, na unidade faltavam materiais básico como álcool gel, água sanitária, sabonete e copo descartável. Isso para não falar na falta de medicamentos.

    Assista a situação do HRL AQUI

    Basta – O SindSaúde buscou de todas as formas impedir que a Funeas pudesse assumir o comando das unidades. Exatamente como prevíamos, a Fundação tem recebido muito dinheiro e dado mais problemas do que solução para essas unidades. Só em 2017, mais de R$ 120 milhões foram destinados para a Fundação.

    Mais problemas - Além do HRS e do HRL, outras unidades que já são administradas pela Funeas também passam por problemas. São elas: Centro Hospitalar de Reabilitação, em Curitiba, Hospital Regional de Guaraqueçaba, Hospital Infantil, em Campo Largo e o Hospital regional de Telêmaco Borba.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS