SindSaude Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Notícias

Imprimir
  • 09/10/2018

    Troco nas urnas

    Troco nas urnas
    Richa e nove deputados do camburão ficam de fora

    Nem de longe o resultado das eleições do último domingo significa um avanço da consciência política da população, mas alguns resultados precisam ser ressaltados. No Paraná, o ex-governador Beto Richa acabou em sexto lugar na disputa para o Senado e nove deputados do camburão, que votaram a favor do saque na previdência, não se reelegeram.

    A substituição por si só não garante que a nova composição da Assembleia Legislativa será mais favorável ao funcionalismo, mas prova que nossa campanha permanente para que os “cabeças” do massacre do dia 29 de abril fossem punidos nas urnas surtiu efeito. Entre várias iniciativas, o SindSaúde lançou um site com o comportamento das/os deputadas/os.

    Sabemos que muitos preferiram a opção por colocar nomes menos conhecidos. Mas ao pegar a biografia de muitos e ver o partido, nos damos conta que o parlamento ficou mais conservador e mais atrelado ao estado mínimo. Ou seja, menos serviço público. Menos direitos sociais e trabalhistas.

    As/os deputadas/os estaduais passageiros do camburão que ficaram de fora da Assembleia Legislativa são: Alexandre Guimarães, André Bueno, Cantora Mara Lima, Claudia Pereira, Elio Rush, Evandro Júnior e Hussein Bakri. Outros dois tentaram a sorte para a Câmara Federal e não se elegeram: Marcio Paulik e Stephanes Júnior.

    Câmara Federal – Já na Câmara Federal, das/os vinte deputadas/os que votaram contra as/os trabalhadoras/es e a favor da chamada reforma trabalhista e da terceirização, sete não conseguiram a reeleição:, Alfredo Kaefer, Edmar Arruda, Evandro Roman, Leopoldo Meyer, Luiz Carlos Hauly, Osmar Bertoldi e Takayama. Outros três não foram eleitos para outros cargos: João Arruda, Nelson Padovani e Alex Canziani.]

    Governo – Embora tenha tentado a todo custo se distanciar de Richa durante a campanha, o fato é que o ex-governador conseguiu eleger em primeiro turno um aliado para a sua sucessão. O futuro governador Carlos Massa Junior já deu várias demonstrações de que pretende seguir a política de Richa, aumentando as privatizações e contestando os direitos do funcionalismo. Teremos que estar unidos e prontos para atuar desde o primeiro dia de seu mandato.

    Senado – A eleição para o Senado marcou o fim da carreira política do ex-governador Beto Richa. Dono do pior mandato da história, Richa viu seu capital político derreter assim como o do seu partido, o PSDB. Os dois senadores do Paraná eleitos para os próximos quatro anos são: Oriovisto Guimarães e Flavio Arns. Outro que foi derrotado no voto foi Roberto Requião.

    Presidência – De forma ainda mais acentuada quem em 2014, o segundo turno das eleições presidenciais será marcado pela polarização. De um lado a candidatura do ex-deputado federal conservador Jair Bolsonaro. Do outro, a candidatura do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, mais alinhado aos ideais de esquerda.

    O SindSaúde mantém sua postura de Sindicato apartidário. Independente do vencedor, nossa postura deverá ser a de defesa intransigente da saúde pública e da valorização do funcionalismo público. Até as eleições vamos divulgar uma série de análises das propostas dos dois candidatos para área da saúde.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS