SindSaude Terça-feira, 20 de novembro de 2018

Notícias

Imprimir
  • 11/09/2018

    Enfim, preso!

    Enfim, preso!
    Saiba o que a prisão do ex-governador tem a ver com a saúde

    Foram presos na manhã desta terça-feira, 11 de setembro, o ex-governador do Estado, Beto Richa, sua esposa, Fernanda Richa, seu irmão, Pepe Richa, o ex-chefe de gabinete, Deonilson Roldo, o primo, Luiz Abi Antoun entre outros. Uma decisão há tempos reivindicada pelo SindSaúde e que deve frear a intenção de Richa de se eleger senador.

    A prisão é desdobramento da Operação Radiopatrulha do Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – que investiga um esquema ilícito na manutenção de estradas rurais. Também na manhã de hoje a Operação Lava Jato, chefiada pela Polícia Federal, cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do ex-governador. Nesse caso a denúncia é relacionada a obras em rodovias.

    E a saúde? As denúncias contra o ex-governador e sua trupe vão além. Ao final dessa matéria você confere o relato das que já existe investigação. Na saúde não é diferente. O SindSaúde vem sistematicamente denunciando a preferência da gestão Richa-Cida por investir em “negócios” com aliados. Seja por meio de licitações, seja por meio de terceirizações, Richa esbanjou recursos para amigos.

    A consequência é que faltou recurso para investir em hospitais e unidades públicas. Assim como faltou dinheiro para impedir que o salário do funcionalismo ficasse três anos sem reajuste. Vale lembrar que o Paraná foi o primeiro Estado do país a entrar em crise. Só não atrasou salário por conta de um aumento abusivo de impostos e do saque na ParanaPrevidência.

    Estamos ligados - O SindSaúde já denunciou indício de esquemas ilegais nas terceirizações das cozinhas e lavanderias dos hospitais, assim como tem buscado esclarecer de que forma a Funeas, Fundação que recebeu 90 milhões da Sesa para administrar hospitais, pode deixar faltar itens essenciais e não ser punida. 

    Vale a pena! - Esta prisão também tem a ver com a nossa luta. Se ficássemos calados, esperando a Justiça agir de braços cruzados, talvez essas prisões e seus futuros desdobramentos não ocorressem. O SindSaúde seguirá colocando o assunto em pauta dos nossos meios comunicação. Também estaremos nas ruas, na porta do ex-governador, onde preciso for para que a Justiça seja feita e os recursos públicos parem de escoar.


    Beto e Fernanda Richa foram presos em casa. Foto: Reprodução RPC.

    Eleição e ação – Nesse período, mentiras jorram bela boca de gente que sempre ocupou cargos públicos para benefício próprio. Nós, que estamos no serviço público, sabemos bem o jogo de interesses e as propagandas mentirosas. É hora de darmos tempo das nossas vidas para falar com o vizinho, com o amigo, com o colega da escola ou da academia. É hora de estar nas redes sociais, mas sabemos que o olho no olho convence mais. 

    O SindSaúde sabe que eleição não muda tudo da vida, mas podemos tirar umas/uns pilantras que sempre foram abutres e que mataram parte das nossas riquezas e dos nossos direitos. Vamos à feira ou ao cinema ou ao parque ou pra frente da fila de uma unidade de saúde e vamos fazer campanha contra essa gente que há décadas vem sugando os recursos públicos.


    Confira as seis operações que investigam esquemas ilegais durante a gestão Richa-Cida:


    Radiopatrulha - Gaeco - Propina estradas rurais
    Piloto - Lava Jato - Propina estradas
    Quadro Negro - Gaeco - Desvio de verbas destinadas a reformas de escolas
    Publicano - Gaeco – Esquema de propina na Receita Estadual
    Superagui - MP – Licenciamento ambiental ilegal que teria beneficiado negócios da família Richa.
    Integração - Lava Jato – Propina paga pelas concessionárias e pedágio

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS