SindSaude Quinta-feira, 19 de julho de 2018

Notícias

Imprimir
  • 05/07/2018

    Caos no HICL confirma: gestão Funeas é gestão terror

    Caos no HICL confirma: gestão Funeas é gestão terror
    Equipamento do HICL só foi consertado graças à reclamação

    No dia 20 de junho noticiamos que desde que a Funeas assumiu a administração do HICL, em Campo Largo, a situação para trabalhadoras/es e pacientes só tinha piorado. Um dos principais problemas era o defeito no equipamento de Raio-X. Aparelho essencial para o dia a dia, as soluções paliativas estavam causando o caos na Unidade.

    Pois essa semana a equipe do Sindicato visitou novamente o hospital e, para infelicidade de todos, foi constatado que o equipamento seguia sem funcionar. O Sindicato não deixou por menos, levou material de comunicação e carro de som para porta do Hospital e colocou a boca no trombone. Resultado? A direção do Sindicato acaba de receber a notícia que, enfim, o equipamento de Raio-X do HICL está funcionando.

    Vale lembrar que o conserto do aparelho de Raio X foi em conjunto com as/os trabalhadoras/es. A brava gente unida foi fundamental para dar um jeito nessa situação!

    Gambiarra - O Sindicato já havia argumentado com a direção que era preciso parar com remendos e ter profissionalismo na condução do problema. Apontamos a ilegalidade dos atos determinados pelo gestor local.

    A pressão do SindSaúde foi constante. A equipe de servidoras/es também queria trabalhar em condições adequadas e dentro da legislação.

    Cirurgias canceladas – Outro efeito colateral da Funeas no HICL é a falta de profissional, médicos em especial. É que o novo modelo de contratação implementado pela Fundação trabalha com contratos precários e uma remuneração baixa, o que tem espantado os profissionais. Um dos resultados disso é que desde junho o Hospital está realizando um número bastante limitado de cirurgias.

    Descaso geral – A gestão Funeas no HICL não é diferente da gestão Funeas no HRL, em Paranaguá, ou do HRG, em Guraqueçaba. Em todos esses locais o que se percebe é uma acentuada queda na qualidade da gerência. Ao invés de metas a serem batidas, o que se observa até aqui é um retrocesso. Os recursos parecem cada vez mais escassos enquanto o governo jura que tem ampliado o investimento.

    Vamos continuar juntos em defesa da garantia de condições de trabalho dignas.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS