SindSaude Terça-feira, 14 de agosto de 2018

Notícias

Imprimir
  • 04/07/2018

    Solidariedade às/aos colegas agentes penitenciários

    Solidariedade às/aos colegas agentes penitenciários
    Reprodução RPC
    Servidoras/es são reféns em rebelião na capital

    O SindSaúde PR manifesta todo seu apoio e solidariedade às/aos agentes penitenciários do Paraná que, mais uma vez, são vítimas de violência dentro das unidades penais do Estado.

    Desde o último domingo, 1º de julho, quatro agentes penitenciários são reféns em uma rebelião na Casa de Custodia de Curitiba – CCC. O clima de tensão na unidade chegou a níveis preocupantes e a veiculação de um vídeo nas redes sociais revelou o iminente risco de morte a que as/os servidoras/es do Estado ficam submetidas/os em uma situação como essa.

    No vídeo, as/os servidoras/es – algemados, ameaçados com facas no pescoço e em meio a dezenas de presos armados – reclamam da atitude do governo de cortar água, luz e alimentação durante as negociações para tentar encerra o motim. Além disso, ainda são forçados a transmitir as reivindicações dos presos. Do lado de fora, a governadora Cida Borghetti, disse que o clima na unidade é tranquilo e que as negociações seguem dentro da normalidade.

    Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná – Sindarspen - a unidade está trabalhando com 30% de superlotação e com menos da metade das/os funcionárias/os necessárias/os. A categoria também questiona a política do governo de sucateamento das unidades penais e a defasagem da carreira das/os agentes.

    Assim como nós, servidoras/es da saúde, as/os agentes também estão sofrendo com a política de sucateamento do serviço público acelerada pela gestão de Beto Richa e que segue o mesmo rumo agora com Cida Borghetti. Falta de pessoal, condições de trabalho cada dia mais precárias, falta de investimento na carreira e reajuste zero são rotinas comuns entre as categorias.

    Confira abaixo a carta divulgada pela direção do Sindarspen que retrata um pouco desse caos.

    Boa noite.

    Este momento é de tensão, e a dor de ver um companheiro na ponta da faca é imensurável.

    Pior ainda é para quem esta de refém, sem observar nenhuma possibilidade de final dessa trágica rebelião.

    O Governo do Paraná deixou por anos de se investir no sistema prisonal, facilitando com que presos se organizem, e utilizem nossa categoria como moeda de troca para suas reivindicações.

    Todas as penitenciárias estão superlotadas e com baixo efetivo, nos transformando em reféns potenciais.

    Não suficiente, o Governo do Estado vem anunciando a colocação de conteiners nas penitenciárias já sucateadas, ao invés de se construir novas unidades, e contratar novos funcionários.

    Com uma política de sucateamento das estruturas das unidades penais, e com a desvalorização da carreira de agentes penitenciários, cada vez mais vamos nos aproximando ao fundo do poço.

    Temos que ter cautela nos nossos movimentos, para poder preservar a vida de nossos irmãos neste momento, mas vamos ter que agir com rigor para solicitar o fim da política dos shelters, (política essa que inclusive vem sendo respaldada por alguns diretores agentes penitenciários)a reestruturação urgente de nossa carreira, contratação de novos agentes penitenciários, investimento em equipamentos e cursos de formação continuada, e o fim da defasagem de nossos salários.

    Att.

    Ricardo Miranda
    Presidente do Sindarspen

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS