SindSaude Quinta-feira, 19 de julho de 2018

Notícias

Imprimir
  • 13/03/2018

    Aumenta a pressão por novas contratações

    Aumenta a pressão por novas contratações
    Aprovados no concurso e Sindicato participam de reunião na Alep

    O Sindicato esteve nessa terça-feira, 13/3, apoiando as/os profissionais aprovadas/os no concurso da Sesa de 2016 durante reunião na Assembleia Legislativa. As/os trabalhadoras/es vieram de todo o Estado para mostrar aos parlamentares da Comissão de Saúde da Casa o quanto é absurda e angustiante a espera pela contratação. Enquanto isso, a brava gente segue adoecendo pela falta de pessoal.

    Como já é de praxe, o secretário da Saúde, Michele Caputo, não compareceu à audiência embora tenha sido convocado pelos deputados da Comissão. Dessa vez nem o diretor-geral, Sezifredo Paz, deu o ar da graça. Coube à diretora de Recursos Humanos da Sesa, Maria do Carmo Aparecida de Oliveira, tentar justificar o porquê de tamanha lentidão no chamamento das/os aprovadas/os.

    Um dos representantes das/os aprovadas/os apontou uma série de contradições nos argumentos do governo. “É um absurdo o governador falar em superávit de 2% e depois negar recursos para nos contratar. O maior beneficiado com isso seria a própria população”. Embora haja 2.698 vagas na Sesa, sequer as 969 previstas no edital foram preenchidas até agora.

    A fala dos trabalhadores foi reforçada por alguns deputados. “É uma falta de respeito. A pessoa se dedica, estuda, vai bem na prova e na hora do governo chamar acontece toda essa enrolação”, criticou o deputado Nereu Moura. Outro que elevou o tom da crítica foi o deputado Evandro Araújo. “Na minha opinião, o secretário de Saúde deveria pedir exoneração e denunciar o que essa gestão está fazendo com o Estado”.

    De acordo com a representante do governo, todos os esforços serão feitos para contratar mais 300 profissionais. No entanto, ela fez questão de lembrar que o prazo de validade do concurso é de dois anos, com possibilidade de prorrogação de mais dois. Ao que tudo indica, o governo não tem nenhum plano para agilizar o processo.

    Enquanto isso, centenas de profissionais seguem com aflição de não poder planejar o futuro. “Quando vamos procurar emprego nos vemos em uma encruzilhada. Ou omitimos o fato de estar aguardando o chamamento ou não somos contratados”, disse um dos aprovados que preferiu não se identificar.

    Resumo – Não é fácil lutar contra a política do governador de acabar com o serviço público. Não se trata de falta de recurso, mas de falta de vontade política. Nesse sentido, é fundamental a conquista de apoio. Especialmente em ano eleitoral. A audiência dessa terça foi só mais um passo de uma difícil luta que estamos travando. A direção do SindSaúde parabeniza a todos que estiveram na audiência pública e se coloca à disposição para seguir colaborando com os próximos passos dessa luta!

    Confira AQUI o resumo dos dados apresentados na reunião desta terça-feira, 13. *Os dados são estimados.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS