SindSaude Sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Notícias

  • 01/02/2018

    Lute enquanto é tempo

    Lute enquanto é tempo
    Cinco possíveis mudanças na previdência que vão piorar a vida do servidor na ativa

    Desde que Michel Temer decidiu mexer na aposentadoria a dita reforma da previdência já mudou duas vezes. Mudanças pequenas, que não alteram o produto final, mas que provam que a pressão pode mudar o jogo. Se antes o serviço público iria ficar de fora, com a PEC 287, que vai entrar em votação no dia 17 de fevereiro, não existe trabalhador que vá ficar de fora das pioras. E não é só para os nossos filhos e netos não, os ataquem são pra já.

    Com a ajuda da nossa equipe jurídica, pinçamos CINCO elementos que vão impactar diretamente a servidora e o servidor público já a partir da data de uma possível aprovação.

    1 – Regra de transição – Quem já está na ativa terá de trabalhar 30% a mais do que na regra anterior. Uma pessoa de 35 anos, por exemplo, que na regra atual precisa de mais vinte anos para se aposentar, com a mudança vai precisar de sete anos de trabalho além dos 20.

    2 – Direito negado - Para quem entrou antes de 2004 e tem direito à paridade e à integralidade a mudança é ainda pior: ou espera completar 65 anos se homem e 62 se mulher ou abre mão desses direitos.

    3 – Contribuição previdenciária – Atualmente o percentual que pagamos é de 11% . A PEC abre caminho para que a cobrança seja de 14%.

    4 – Aposentadoria por invalidez – Só terá direito ao valor integral do benefício os casos de acidente de trabalho. A lei atual confere esse direito também para doenças graves e acidentes em geral.

    5 – Abono permanência – Hoje quem atinge a idade de se aposentar mas prefere seguir na labuta não precisa pagar a previdência. É o abono permanência. A PEC 287 vai permitir que essa isenção não seja mais de 100%.

    Clique AQUI para encontrar o email do deputado federal da sua região. Pressione, mostre para eles que o povo está de olho e pronto para dar o troco nas urnas.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS