SindSaude Terça-feira, 23 de outubro de 2018

Notícias

Imprimir
  • 16/01/2018

    Manobra do governo vai onerar sindicatos

    Manobra do governo vai onerar sindicatos
    Para o SindSaúde mudança custará R$ 48 mil ao ano

    A partir de agora o Sindicato terá que pagar pelo repasse das contribuições sindicais das/os seus filiadas/os. Isso porque a empresa ZetraSoft, que administra o sistema de consignações em folha passou a cobrar pela a prestação desse serviço. O valor que o SindSaúde tem de pagar até o próximo dia 30 perto de R$ 4 mil ao mês.

    Entenda - O sistema de consignação era operado e gerenciado pela Secretaria de Administração e Previdência - Seap. Até que terceirizaram o serviço. Esse filão tornou-se um negócio atrativo para empresas privadas, pois movimenta aproximadamente 280 milhões/mês.

    Esse valor se refere ao total estimado de consignações que os mais de 320 mil servidoras/es aposentadas/os e da ativa mantêm em seus contracheques. Na maioria, as consignações são os empréstimos contraídos pelo funcionalismo.

    Por meio do edital 072 de 2017 a empresa vencedora, que foi a ZetraSoft, administrará o sistema. E a partir de agora cada instituição que mantém consignações terá de fazer o pagamento pelo serviço.

    A Seap trata sindicatos e associações da mesma forma que trata bancos e outras instituições financeiras que têm altos lucros com os juros cobrados pelos empréstimos. Ou seja: sindicatos não visam ao lucro, já os bancos cobram os maiores juros do mundo. De novo esse governo age para penalizar a organização dos trabalhadores.

    Por que a mudança? A mesma empresa fazia o repasse das contribuições sindicais e nada era cobrado dos sindicatos. O que aconteceu? O caso é que o governo queria tirar a Zetra do caminho e colocar no lugar uma empresa que, digamos assim, fosse mais solícita. Tivesse um espírito assim mais de reciprocidade.

    Depois de muita discussão judicial, o governo teve de abrir uma licitação "decente" e exigiu um lance mínimo – de milhões – de quem ganhasse a concorrência para contratação de nova empresa para gerenciar esse sistema.

    Fonte ligada à casa Civil afirmou que a Zetra, que já operava o sistema, foi lá e deu mais que o dobro do que a proposta da segunda colocada. E super valeu a pena porque como a empresa já vinha prestando o serviço, não precisava investir nada para dar continuidade.

    Além disso, aproveitou-se de uma regra do edital que previa que a ganhadora poderia cobrar R$ 2,90 por linha de empréstimo, algo em torno de 240 mil linhas por mês! Como a Zetra cobrava em média R$ 1,50 e agora pode cobrar R$ 2,90, foi um altíssimo negócio.

    Em matéria publicada no semanário Gazeta do Povo, de 14 de outubro de 2017, o colunista e jornalista político Celso Nascimento já falava sobre o assunto. Leia mais AQUI.

    Cadê a fiscalização? - Mais uma vez, os sindicatos vão pagar a conta das maracutaias do governo? E cadê o Tribunal de Contas do Estado? E as/os deputadas/os? Só no amém ao Executivo?!


Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS