SindSaude Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Notícias

Imprimir
  • 14/12/2017

    Mobilização e organização trazem Seminário para o Sul

    Mobilização e organização trazem Seminário para o Sul
    8º Seminário da Frente será em Porto Alegre

    A capital do Rio Grande será palco da próxima edição do evento da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde - FNCPS. Essa foi uma das deliberações do 7º Seminário, que enxergou a capacidade mobilizadora e organizativa da Região Sul e elegeu Porto Alegre como sede desses momentos de reflexão do grupo. Grupo comprometido com a defesa do SUS como “o” sistema de saúde da classe trabalhadora.

    A servidora Maritza Ganzert Ferreira, da Lapa, que participou do 7º Seminário, contou que veio à tona a discussão sobre o desmonte que ocorre na saúde. Desmonte que é fruto de interesse muito maior, que acontece em escala mundial para garantir o lucro dos grandes capitalistas.

    Fica claro que o estado-patrão, para garantir que esse modelo de explorar a maioria e beneficiar uma minoria, privatiza o que é público e entrega ao grande capital para dar lucro. Em contrapartida estatiza a dívida, o que faz com que a dívida pública nunca se esgote. Dessa forma assegura que grandes empresárias/os e banqueiros lucrem mais e mais a cada dia.

    Só muda de endereço Maritza contou que o grupo de trabalho foi um espaço para compartilhar mais de perto as diversas realidades. “Foi perceptível: apesar de estados diferentes, os ataques e desmontes são semelhantes”.

    A servidora reiterou a sintonia do SindSaúde Paraná e da brava gente com as bandeiras da Frente Nacional. Outra necessidade sentida na 7º Seminário foi de estabelecer um plano de lutas e transformar em ações tudo que se propõe.

    Memória  O grupo de sanitaristas começou pequeno e há décadas. Depois foi crescendo a ponto de conseguir garantir na Constituição de 1988 a inclusão de um Sistema Único de Saúde integral, igualitário e com equidade. Esse exemplo é seguido pela Frente, que é formada por muitas daquelas pessoas que conseguiram um capítulo na Carta Magna e por gente muito nova e muito cheia de vida. Comprometida com justiça e igualdade social.

    Vânia Muniz Soares, enfermeira aposentada, sanitarista e militante da Rede Feminista de Saúde, lembrou que a Frente foi criada em 2010 e integra diversas organizações, movimentos sociais e militantes da área da saúde, e visa à articulação de diversas lutas em defesa do SUS de caráter público, 100% estatal e de qualidade.

    Uma das principais decisões da Frente Nacional e dos fóruns estaduais, na percepção de Vânia foi a retomada da formação de base, com a releitura dos clássicos da reforma sanitária e outros. Ou seja: a retomada do debate e da formação que se perderam ao longo dos anos.

    Para ela, o que mais chamou atenção no Seminário foi a participação de grande número de jovens acadêmicos muito politizadas/os e informadas/os militantes, em especial do Serviço Social e de outras áreas, inclusive da Medicina, representada no Seminário por profissionais e pela Direção Executiva de Estudantes de Medicina - DENEM.

    Vânia vê uma luz e uma esperança. “Que em breve haja uma massa popular que estanque as chamadas contrarreformas impostas por este governo golpista e por outros movimentos/grupos neoliberais”, sentenciou.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS