SindSaude Quinta-feira, 26 de abril de 2018

Notícias

  • 13/12/2017

    Agricultores entram no nono dia de greve de fome

    Agricultores entram no nono dia de greve de fome
    Greve de Fome em Brasília. Foto: Adilvane Spezia - MPA
    Reforma da Previdência pode fazer primeira vítima

    Há mais de uma semana camponeses do Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA – estão em greve de fome contra a Reforma da Previdência em Brasília. Os primeiros sinais de debilidade começam a ser diagnosticado, como dor de cabeça e dor de estômago, fraqueza e dificuldade de locomoção.

    Ronald Wolff, médico que acompanha os sete grevistas na capital federal, diz estar muito preocupado com o estado de saúde de alguns deles, que já entraram no nono dia de greve. O médico pergunta se será que vai ser preciso agravar a saúde de um frei, de uma mulher lutadora para que os representantes do povo brasileiro se sensibilizem e comecem a compreender o que é que está em jogo.

    Em outros locais do país, como é o caso do Sergipe, mais quatro militantes do MPA iniciaram greve de fome na Câmara Legislativa. Já no município de Canguçu – no Rio Grande do Sul, mais quatro companheiros aderiram ao movimento na segunda-feira, 11.

    Ontem, 12/12, além de Brasília, Canguçu, Sergipe e Rondônia, já se confirmam greves de fome, dia de fome, vigílias, atos e ações de denúncia da Reforma da Previdência em Santa Catarina, outros municípios do Rio Grande do Sul e do Sergipe, Espírito Santo, Rondônia, Bahia, Piauí, Pernambuco e Alagoas. Todas/os contra a Reforma da Previdência que se aprovada irá forçar milhões de brasileiros a passarem fome.

    Garra – Durante Coletiva de Imprensa realizada no início da semana, o Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA – anunciou que a greve de fome não apenas segue, como será intensificada, até enterrarmos a Reforma da Previdência. Para o Movimento, a greve de fome significa que alguns passarão fome por alguns dias para evitar que muitos passem fome uma vida inteira.

    Coragem pra lutar – O SindSaúde se solidariza com os grevistas e aplaude a iniciativa do Movimento, que mostra que quem quer mesmo mudança dá parte da sua vida para a luta! Fazer greve de fome é uma ação desesperada e nesse cenário necessária para mostrar que não aceitamos essa destruição. O Sindicato tem reafirmado à categoria sobre a gravidade do corte de direitos, que vem nessa proposta de Reforma da Previdência. E estamos de cabeça para resistir à tamanha ruína do direito a se aposentar.

    Com informações da comunicação MPA

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS