SindSaude Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Notícias

  • 01/12/2017

    Dezembro da fome nos hospitais da Sesa

    Dezembro da fome nos hospitais da Sesa
    Sindicato segue na luta para reverter o corte da alimentação
    A partir desta sexta-feira, 1º de dezembro, as trabalhadoras e os trabalhadores dos hospitais da Sesa que não trabalham em regime de plantão deixam de ter direito à alimentação. Uma decisão que vai fazer com que milhares tenham ainda mais perdas financeiras. Depois de dois anos sem reajuste, mais essa maldade, mais essa violência.

    Em reunião entre Sindicato o governo na segunda-feira, 27 de novembro, o Tribunal de Contas chegou a assinalar que haveria margem para negociação. Já a Sesa entrou e saiu do encontro convicta: cortar a alimentação de quem não trabalha em regime de plantão.

    Não fossem as várias investidas da direção, até mesmo as unidades afastadas sofreriam com o corte para quem não faz plantão. Vale dizer que os hospitais Adauto Botelho, Dermatologia, CPPI Lacen, Guatupê e Lapa vão ficar de fora da orientação por serem locais de difícil acesso. A reivindicação do Sindicato é que o HRS, em Francisco Beltrão, entre nessa lista.

    Comida fora - Já foram vários flagrantes de comida sendo jogada fora. E não era pouco não. Afinal, quem é que vai pagar essa conta? Se o corte era uma questão de prudência com os recursos, deu tudo errado.

    Negócios – Para levar a indignação das/os servidoras/es às alturas, ainda tem unidade em que a empresa terceirizada, que fornece alimentação, está vendendo para quem foi cortado. Essa é a máxima dessa gestão: muito amiga da iniciativa privada e severa com quem garante o funcionamento das políticas públicas.

    Abaixo-assinado - Outra medida do Sindicato tem sido organizar abaixo-assinados em todas as unidades e um geral online. A ideia é chamar a atenção da opinião pública, dos pacientes e de seus acompanhantes. Procure saber quem está organizando as assinaturas no seu local de trabalho e ajude a colher assinaturas.

    Nenhum governo defende direitos das servidoras e servidores. Se é nosso interesse, temos de nos expor e lutar. A gestão Richa e Caputo já mostrou que é truculenta com o funcionalismo. Para um governo dessa qualidade teremos de mudar nossas ações e, de fato, enfrentar gestoras que estão destruindo direitos. AQUI o abaixo-assinado ONLINE.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS