SindSaude Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Notícias

  • 27/11/2017

    Alimentação só será cortada se governo quiser

    Alimentação só será cortada se governo quiser
    Governo se mantém irredutível

    A direção sindical esteve nesta segunda-feira, 27/11, no Tribunal de Contas para tentar ampliar o prazo, enfim, para adiar ou mesmo suspender o corte da alimentação. Só que oTribunal de Contas – TC – em nenhum momento orientou o corte da alimentação das/os servidoras/es da saúde que faziam jornada de oito horas. Eles foram visitar alguns locais de trabalho e acabaram por constatar que a Sesa pagava alimentação para todas/os as/os trabalhadoras/es terceirizadas/os.

    Isso significa que o governo é que quer mesmo negar comida às servidoras/es. Não importa se há 30 anos essas/es profissionais comem no próprio hospital comida feita pelo nosso pessoal. O TC não se recusa a estender os prazos até que tramite a minuta de lei pra garantir alimentação pra quem faz oito horas. Mas a Secretaria de Estado da Saúde – Sesa – está irredutível. 

    Na reunião com o Tribunal deixou claro que só pretende manter a alimentação para as/os trabalhadoras/es que estão lotadas/os em locais de difícil acesso. São eles Adauto, Dermatologia, CPPI, Lacen, Guatupê e Lapa, deixando de fora o Hospital Regional do Sudoeste mesmo com os protestos do Sindicato. O povo das demais unidades que se lasque e se adapte ou leve comida para esquentar no microondas e pronto. Como se as normas da Vigilância Sanitária deixassem! Como se isso fosse muito higiênico!

    Para todas/os - O Sindicato foi firme na manutenção da alimentação para as/os servidoras/es dos onze hospitais. Se o governo quisesse, resolvia isso já. Tem uma base aliada que espera afoita para bater palminhas para tudo que seu mestre manda.

    Desde que saiu a notícia do corte da alimentação, o SindSaúde foi a campo tentar pressionar as/os deputadas/os. Conseguiu um espaço na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, que também chamou o gestor para ouvir os dois lados. A Comissão agendou para hoje essa reunião com o Tribunal, que, reiteramos, está disposto a esperar o tempo que for necessário para que se altere a lei.

    O que falta para mudar a lei? Vontade! Apenas vontade!

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS