SindSaude Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Notícias

  • 22/11/2017

    E como vai a saúde do trabalhador da saúde?

    E como vai a saúde do trabalhador da saúde?
    Seminário será espaço para debate e encaminhamentos

    O trabalho adoece. A afirmação não é novidade. Mas pouco se faz para enfrentar os dados alarmantes de adoecimento. Enfrentar no sentido de promover alterações profundas nas condições e na organização do processo de trabalho, criando mecanismos de prevenção e proteção à saúde.

    Pensando nisso, a direção do SindSaúde coloca como uma das suas metas promover ações que gerem o maior conhecimento sobre o tema para que o assunto não continue sendo relegado a terceiro plano. A organização do processo de trabalho na Secretaria Estadual de Saúde – Sesa – precisa ser analisada e debatida pelas/os servidoras/es. Em geral, queremos que haja uma vigilância externa sobre o local de trabalho ou o cumprimento da legislação. Mas só isso não basta.

    Saber como, onde e o que tem causado doenças como a depressão ou lesões por esforços repetitivos é que são elas!

    Por esta e por outras, inclusive pelos suicídios que temos visto em nossa categoria, é que vamos nos reunir para discutir sobre a nossa saúde. Antes que seja tarde!

    Números - Você sabia que dos afastamentos que a nossa categoria teve em 2016, a maioria é de doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo? 22% são Lesões por Esforço Repetitivo, 18% Transtornos Mentais e 10% são lesões, envenenamentos e outras causas externas.

    Sem culpa A maioria das trabalhadoras e trabalhadores já passou por alguma situação no seu local de trabalho. Não raro a gente se vê diante de alguém que falou que comenta a sobrecarga de trabalho nos hospitais ou o carregamento de peso excessivo. Sem contar que aquela chefia pressiona tanto que quando você sai do trabalho não tem ânimo para mais nada!

    Tudo isso acontece e a gente chega a pensar que a culpa é nossa, que as coisas são assim mesmo. Mas, não são! E temos de investigar as causas.

    Política de ST Para que sejam feitas as devidas investigações, ligando esse sofrimento e/ou afastamentos nos ambientes e nos processos de trabalho é necessário que tenhamos, dentre outras questões, uma política efetiva de saúde da trabalhadora e do trabalhador da saúde.

    Para isso, é preciso também que tenhamos uma organização nossa nos diversos locais de trabalho que aponte os riscos e as situações que adoecem e causam sofrimento na gente.

    Precisamos de um diagnóstico da nossa situação de saúde para enfrentarmos a organização do trabalho e eliminarmos as origens desses males!

    Projeto de lei - O SindSaúde tem preocupação com o assunto há muito tempo. Há anos temos colocado o tema na nossa pauta de reivindicação, defendendo que haja a aprovação em lei de uma política de saúde do trabalhador para todo funcionalismo. Desde 2008, temos projeto de lei para a área e já tramitou na Assembleia Legislativa, mas não foi aprovado. Clique AQUI e conheça o projeto que criamos e defendemos. 

    Seminário  Vamos debater o assunto em Seminário no próximo dia 8 de dezembro. Ao realizar o Seminário, o objetivo do SindSaúde é estabelecer estratégias de ação sindical visando à participação ativa das/os trabalhadoras/es para identificar e enfrentar os riscos, cargas e danos causados pela nocividade dos ambientes e processo de trabalho.

    Ao promover esse momento de capacitação e debater saúde do trabalhador, a direção sindical também associa esse tema à nossa antiga reivindicação de redução de jornada de trabalho. O processo de trabalho em saúde estabelece enormes cargas de desgaste, em que se associam exposição e efeitos relacionados ao conjunto dos grupos de riscos – biológicos, químicos, físicos, ergonômicos e psicossociais.

    O evento, que vai acontecer em Curitiba das 8h às 17h30, será certificado pela Universidade Federal do Paraná e as inscrições podem ser feitas pelo telefone 41 3322-0921 ou pelo Whatsapp 41 98898-4498. 

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS