SindSaude Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias

  • 10/11/2017

    Paraná cada vez mais desumano

    Paraná cada vez mais desumano
    Rebelião na penitenciária de Cascavel - reprodução RPC
    Mais uma vez agentes pagam com a vida pelo caos no sistema penitenciário

    O abandono, o descaso, a política do Estado mínimo faz a cada dia novas vítimas. Seja na educação – suspendendo o contrato temporário de professoras/es e funcionárias/es – seja na saúde – repassando à iniciativa privada a gestão dos hospitais e terceirizando a lavanderia e a alimentação – seja na segurança – sucateando o sistema previdenciário e colocando em risco a saúde dessas/es profissionais. E na berlinda, a rebelião de Cascavel, que já dura mais de 20 horas até o fechamento da edição.

    A situação é tão grave que um agente penitenciário e dois agentes de cadeia foram feitos reféns. Um dos agentes está bem ferido. E dois detentos estão mortos.

    Mais do mesmo – A Penitenciária Estadual de Cascavel – PEC – tem cerca de mil presos para 40 agentes penitenciários. Ou seja: 25 presos para cada trabalhador. O Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária preconiza que a proporção seja de cinco presos para cada agente. A falta de efetivo continua sendo o principal problema enfrentado na rotina das unidades, seguida da ausência de automação nas penitenciárias do Paraná.

    De novo!  Em 2014, outra rebelião na mesma unidade deixou ao menos cinco presos mortos e 27 feridos. O motim foi encerrado após 45 horas. Na ocasião, cerca de 80% da estrutura da penitenciária foi destruída pelos presos.

    Reforma De lá pra cá, foi feita uma grande reforma. Só que a PEC não conta com um sistema automatizado, e a abertura das celas e galerias ainda acontece de forma manual. Para um agente penitenciário e dirigente sindical, “temos problemas estruturais graves, que começam na própria construção das Unidades Penais, e na Escola Penitenciária”.

    E mais: as penitenciárias só conseguem ser funcionais e seguras se quem tem experiência no assunto participar do projeto de construção, e esse alguém experiente é o Agente Penitenciário, afirma a nota do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná, que chama toda a sociedade para pressionar o governo do Paraná por mais atenção para essa situação.

    O SindSaúde se solidariza com a categoria e torce para que essa rebelião acabe o mais rápido possível.

    Informação do site do Sindarspen - Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS