SindSaude Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias

  • 07/11/2017

    Sexta-feira, 10/11, é dia de PARAR!

    Sexta-feira, 10/11, é dia de PARAR!
    Para não destruir o Brasil e os direitos dos trabalhadores dia 10 tem protesto

    Está difícil empurrar com a barriga. Neste sábado, 11 de novembro, entra em vigor a nova lei trabalhista. Aquela que ferra com as/os trabalhadoras/es e dá todas as garantias aos patrões. Lei que aumenta a jornada de trabalho, reduz salários, férias parceladas, entre tantas outras barbaridades. Enfim, arranca todos os direitos das/os trabalhadoras/es.

    Fim da aposentadoria - Enquanto perdoam bilhões de dívidas dos banqueiros, querem tirar a nossa aposentadoria. A Reforma da Previdência, ainda em debate no Congresso, acaba com o sonho de muitas/os de ter uma velhice digna. Não existe déficit, como alega o governo. Há sim uma má gestão dos recursos. Há, sim, muitos “perdões” a empresas que passaram a vida a sonegar, mas isso o governo esconde.

    Retrocesso  Alterar o conceito de trabalho escravo e como é feita a inclusão de empresas na chamada "lista suja" do trabalho escravo na legislação é loucura! O Brasil era referência mundial na luta contra esse crime! Queremos a revogação da Portaria 1.129 do Ministério do trabalho que muda o conceito de trabalho escravo.

    Lá - Respostas têm de ser dadas a tanto abuso. Temer distribui dinheiro para comprar votos a seu favor e não é investigado. O presidente diz que é necessário cortar o reajuste do salário mínimo, diz ter de vender o nosso patrimônio, que é público, e passa a tesoura nos direitos da classe trabalhadora. E aí aprova a lei da terceirização e da reforma trabalhista e ainda quer mudar tudo no direito à aposentadoria? Por favor!

    Aqui - O governador Beto Richa está envolvido em pelo menos quatro escândalos e não é investigado. Promove um gigantesco massacre para legalizar o saque à nossa previdência. Beto Richa dá calote em cima de calote. Não paga a data-base, quando paga a promoção e a progressão o faz atrasado e ainda desconta o auxílio transporte, nega a concessão de licença-prêmio, indefere pedidos de ascensão funcional e por aí vai...

    A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou o Projeto de Lei 556/2017 enviado pelo governador Carlos Alberto Richa que congela os gastos públicos pelos próximos dois anos. Com isso, os recursos resultantes do crescimento do orçamento, que acompanha o crescimento da economia, não poderão ser destinados para qualquer outra finalidade que não seja o pagamento da dívida pública. Por isso, exigimos também que seja congelado o pagamento da dívida pública.

    Saída A saída que temos é a construção das lutas, a construção da greve geral. Contra o desemprego, pelo cancelamento da lei das terceirizações, da reforma trabalhista, do trabalho escravo. Essa atividade é nacional e contará com protestos em todo o país. É o povo trabalhador dizendo não aos governantes.

    Nesta sexta-feira, 10 de novembro, vamos juntas/os com as/os demais trabalhadoras/es parar. Em Curitiba, o ato será a partir das 11 horas na Boca Maldita. Domingo, 12/11, às 16h, as/os trabalhadoras/es de Londrina param no aterro do Lago Igapó.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS