SindSaude Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias

  • 01/11/2017

    Governo diz não ao chamamento de 327 aprovados

    Governo diz não ao chamamento de 327 aprovados
    Sefa e Sesa destroem a saúde

    O SindSaúde foi em busca de informações na Secretaria da Fazenda – Sefa – e lá as/os dirigentes tiveram a notícia do arquivamento do protocolo de nomeações das mais de 327 vagas. Com isso, a Sefa e a Secretaria da Saúde – Sesa – destroem a saúde ao não garantir o chamamento desses aprovadas/os do concurso de 2016. Esse contingente não atinge 10% da necessidade da Secretaria. Mas era um passo importante.

    A gestão Beto Richa só tem foco na arrecadação. Despreza a população quando não proporciona qualidade e acesso aos serviços públicos.

    Quando o governador Carlos Alberto Richa e o secretário da Saúde Michele Caputo assumiram a Sesa, havia 9.590 servidoras/es. No final do primeiro mandato, esse número se reduziu a 8.989 funcionárias/os. A promessa do governo e a meta colocada pela Sesa era de, em 2016, chamar 969 servidores. Coisa que não ocorreu.

    Fizeram o concurso e refizeram a meta de chamar os 969 em 2017. Portanto, o governo é caloteiro no salário e na garantia de recompor o quadro da Secretaria. Este ano chamaram 525 aprovadas/os. Desses, mais de 10% já pediram exoneração. Ou seja, o ingresso foi em número insuficiente. E já perdemos mais gente.

    Sempre ele! - A expectativa sustentada pela Sesa sempre foi de nomear 969 servidores em 2017. Expectativa que vai por água abaixo quando o comitê de política salarial, coordenado pelo secretário Mauro Ricardo, indefere essas nomeações e arquiva a tramitação desse edital.

    A alegação é de que não há dinheiro. E que em 2018 esse chamamento acontecerá, pois a situação financeira tende a ser melhor que a atual. Faz-me rir! Nem a pessoa mais crente acredita nessa desculpa.


    Nas redes sociais o secretário dava a convocação do restante das vagas como certa

    O único deferimento do Comitê foi o protocolo da nomeação de 100 servidores para o Hospital do Trabalhador - HT. Isso porque esses ingressos são obrigatórios por se tratar de decisão judicial.

    Na marra, na justiça! Esses ingressos, 100 para o HT, são fruto de ação movida pelo Ministério Público do Trabalho a partir de uma denúncia do SindSaúde. Se não fosse a atuação do Sindicato, essas nomeações não existiriam.

    Sem desânimo  A notícia da negativa de nomear os 327 é ruim. Mas temos de ter atitude combativa ao governo. Nossa população sofre com a espera no atendimento pela falta de pessoal. Nossos colegas estão se matando de tanto fazer hora extra para suprir a falta de profissionais. E são essas precariedades e situações aviltantes que nos mantêm de pé e na luta.

    O governo quer nos nocautear. E nossa resposta tem de ser reação. Reagir. Importunar. Cobrar. Caputo quer ser deputado. Como pode almejar isso se não tem poder nem para cumprir metas enquanto gestor da Secretaria?

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS