SindSaude Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias

  • 11/01/2017

    Vamos à luta pela correção do salário

    Vamos à luta pela correção do salário
    Índice do IPCA de 2016 é de 6,3%. Salário de janeiro deveria ser acrescido do índice mais 1%.

    Estamos próximos do fechamento da folha salarial de janeiro e o governo está pronto pra mais um calote. O IPCA - Índice de Preços ao Consumidor Aplicado - foi divulgado: 6,3%. Este é o índice da inflação de 2016 e deveria, de acordo com a lei 18.493, ser somado a 1% e pago de reajuste para o funcionalismo estadual.

    Além de todas as perdas que nós já acumulamos até aqui, o governo quer pagar salários 7,3% menores durante todo 2017. A conta é simples, se você recebe R$3 mil, serão R$219 a menos todo santo mês. Vale lembrar que o índice de correção deveria ser aplicado também na GAS e no Auxílio Transporte - AT.

    Relembrando - O reajuste em janeiro de 2017 foi proposto pelo governo quando desrespeitou a data-base pela primeira vez em 2015. Na reta final dos trabalhos da Assembleia Legislativa, em 2016, conseguiu aprovar a lei 18.907, que oficializou o desrespeito a esta etapa do reajuste. Confira o que está na lei:

    “Não se aplica e não gera efeitos o disposto no art. 3º da Lei nº 18.493, de 24 de junho de 2015, enquanto não forem implantadas e pagas todas as promoções e progressões devidas aos servidores civis e militares e comprovada a disponibilidade orçamentária e financeira."

    Positivo - De acordo com o estudo feito pelo nosso assessor econômico, a receita do Estado subiu 7,2% em relação a 2015, confirmando tudo o que foi dito pelos sindicatos durante as reuniões de negociação do ano passado. Significa dizer que, se houvesse planejamento e respeito pelos direitos das/os servidoras/es, daria, sim, para o governo honrar todas as suas dívidas com o funcionalismo.

    Um salário a menos - Até aqui as perdas acumuladas das/os servidoras/es já representam cerca de 50% do salário. Se ficarmos sem reajuste até dezembro, será como ter recebido um salário a menos em 2017. Uma perda significativa que reflete em menor qualidade de vida hoje e também persistirá para sempre no nosso orçamento. 

    Calcule aqui a perda salarial que vamos acumular até maio caso mais um calote seja concretizado.

    Depende de nós - Os argumentos estão colocados. No dia 1º de fevereiro o Fórum das Entidades Sindicais - Fes - prepara um grande ato de protesto na reabertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa. É pressão desde o primeiro segundo.

    Não deixe de fazer parte da mobilização e chamar os colegas!

    Assembleia - No dia 4 de fevereiro, em Curitiba, a brava gente da Saúde vai sentar pra traçar as estratégias para 2017. É a primeira assembleia do ano. Além do planejamento e da prestação de contas será também o dia da posse da nova diretoria. Não deixe de comparecer e socializar suas críticas e sugestões. A partir das 8h30 em Curitiba.


Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS