Notícias

Covid-19 se espalha na SESA-PR. Teletrabalho é urgente

A suspeita de infecção por Covid-19 de um membro do gabinete do secretário de Saúde, Beto Preto, no prédio da SESA-PR comprova, mais uma vez, a necessidade da implantação imediata do teletrabalho para garantir a segurança das trabalhadoras e trabalhadores e de suas famílias.

O SindSaúde-PR reivindica o teletrabalho desde o início da pandemia, e as recorrentes quarentenas e higienização no prédio central demonstram que estamos certos em nossa solicitação, que segue o entendimento das autoridades acadêmicas e de especialistas em infectologia e epidemiologia.

Diante do risco de contaminação generalizada no prédio, todas as pessoas da equipe fizeram o teste por meio do swab (cotonete estéril para coleta de amostra microbiológica).

No dia 18 de agosto, o Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) mediou uma audiência com a SESA-PR. Na reunião, o sindicato pediu a adoção do teletrabalho no prédio central e nas Regionais de Saúde, especialmente para quem possui filhas e filhos em idade pré-escolar, além da proposta de redução da jornada semanal.

Isso reduziria muito o risco de contágio de servidoras e servidores por Covid 19 e não prejudicariam em nada o andamento das atividades realizadas.

No início de outubro, o SindSaúde-PR decidiu entrar com um pedido de providências junto ao MPT-PR contra a supressão de direitos promovida pela Resolução 1193/2020 da SESA, que retirou direitos das servidoras e dos servidores (como o adicional noturno e o vale transporte) em teletrabalho e determinou o retorno às atividades presenciais.

Não há justificativa para a SESA-PR continuar colocando em risco a saúde e a vida da nossa categoria. Da maneira como a pandemia está sendo gerida pelo Governo Federal e pelo governo do Paraná, não há indícios que essa crise sanitária esteja perto do fim.

A atitude negacionista de ambos os governos, a demora para a compra de vacinas e a ineficácia na vacinação do governo do Paraná estão fazendo nosso estado passar pelo pior momento da pandemia, aumentando ainda mais a carga de trabalho de quem está na linha de frente no atendimento à população.

É hora de valorizar aqueles que se arriscam todos e adotar o teletrabalho imediatamente e respeitar a coisa mais importante: a vida.

 

Fonte: SindSaúde-pr